Cadastre seu Email

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

11/08/2012 às 20h20min - Atualizada em 11/08/2012 às 20h20min
TAMANHO DA FONTEA-A+
Funcionários de hospital de Goiânia são afastados após arrastarem paciente

Um guarda municipal e uma enfermeira foram afastados pela Prefeitura de Goiânia após um paciente ter sido arrastado no chão, puxado pelos braços, dentro de uma unidade municipal de saúde.

O caso ocorreu na manhã de sexta-feira (10) no Cais (Centro de Assistência Integral à Saúde) Vila Nova, na zona leste da cidade.

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, o homem, de 33 anos, chegou ao Cais com uma bolsa de colostomia --que retém fezes-- presa ao corpo. Enquanto esperava para ser atendido, passou mal e caiu, rompendo a bolsa. O incidente causou mal-estar entre funcionários e pacientes que estavam na unidade.

Um outro paciente, que disse ter se indignado com o tratamento dado ao homem, filmou com o celular o momento em que o guarda o arrastou até uma sala, puxando-o pelos braços. O vídeo foi revelado pela TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo em Goiânia.

A prefeitura informou ainda que o afastamento do guarda e da enfermeira --que não poderia ter permitido que isso ocorresse-- foram determinados na tarde de sexta. A Guarda Municipal abriu sindicância para apurar o caso.

O procedimento correto nesse caso, afirmou a prefeitura, seria utilizar uma maca.

O homem foi transferido, por volta das 17h de ontem, para o Hospital Geral de Goiânia. Segundo a organização social que administra o hospital, seu estado de saúde é estável e ele passará por exames na segunda-feira (13).

GO: direção de hospital e guarda que arrastou paciente são afastados
11 de agosto de 2012  17h25  atualizado às 17h33

A direção do Centro de Assistência Integral à Saúde (Cais) do setor Vila Nova, em Goiânia, foi afastada do cargo, após um guarda municipal arrastar um paciente pelo chão na sexta-feira. A enfermeira de plantão do dia do incidente além do próprio guarda também estão afastados até que o caso seja concluído. As informações são da TV Anhanguera.
Segundo o comandante da Guarda, João França Neto, o guarda deve ser ouvido nesta segunda-feira. O homem que foi arrastado está internado em um hospital de Goiânia e será avaliado por uma equipe médica. A Secretaria de Saúde de Goiânia e o comando da Guarda Municipal abriram sindicâncias para apurar o caso.

exta-feira, 10 de agosto de 2012 7:42

Ademir vai tentar unir Guarda Municipal e PM

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

1 comentário(s)

O candidato do PSC à Prefeitura de São Bernardo, Ademir Silvestre, pretende reunir duas fortes entidades para aumentar a Segurança na cidade, caso eleito: a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar. Apesar de entender que é praticamente impossível existir uma parceria entre ambas, o socialista-cristão destaca a possibilidade de atuarem em conjunto.
"É possível que a Polícia Militar e a Guarda Municipal atuem juntas. Exemplos para isso não faltam, já fizemos parecido no passado. Todos os anos acontecia, por exemplo, na época do Natal, a Operação Papai-Noel, que garantia maior segurança aos trabalhadores, já que nessa época de fim de ano eles recebem o 13º salário", relembrou o candidato.
Outra proposta sobre o tema Segurança visa a ajuda da própria população para criar centros policiais. "O lugar onde hoje está a companhia policial do Parque dos Pássaros foi criado pela população, sem um centavo de recurso do município. Isso também aconteceu em outros bairros. Eu era o coordenador de Ações Comunitárias (da Prefeitura) na época. Vou recriar essa coordenadoria e terei o suporte da população. Toda vez que se chama o povo para contribuir na gestão, ele aparece e os resultados são excelentes", avaliou Ademir.

POLITICA

‘Não podemos abrir espaço para milícias’, diz Cabral

O candidato do PPL acredita ainda que a Lei de Responsabilidade Fiscal só trava o desenvolvimento

Nigel Santana 09/08/2012 12:55
Foto: Sandro Lima
Sérgio Cabral (PPS)
Sérgio Cabral (PPS)
O último candidato a ser sabatinado na rodada de entrevistas promovida pela Fecomércio foi Sérgio Cabral, do Partido Pátria Livre (PPL). Com um público fiel, ele respondeu todas as perguntas e criticou a Lei de Responsabilidade Fiscal nas administrações municipais, estaduais e federal.
O primeiro tema questionado ao candidato foi segurança. Cabral disse que é inadmissível abrir espaço para as milícias e investir em monitoramento das famílias nos bairros.
“Além disso, precisamos integrar a Guarda Municipal aos órgãos da Polícia Civil e Militar. Seria interessante também reforçar o setor de inteligência da Guarda para repassar informações. Só não admito uma Guarda Municipal armada, pois, pode se transformar numa milícia”, declarou.
Quando o assunto foi o Plano Diretor, o representante do PPL observou que as gestões anteriores pensaram muito pouco no desenvolvimento de Maceió. Neste caso, seria preciso elaborar um Plano que consistisse na questão urbana, principalmente no saneamento.
“Há verba do governo federal, mas, falta empenho e projetos. Os recursos do município quase nunca são investidos em saneamento. A capital é uma cidade turística e com belos atrativos. Nunca perceberam isso?”, questiona.
LRF
A Lei de Responsabilidade Fiscal foi um ponto polemico na discussão. Sérgio Cabral assegura que a LRF apenas trava o desenvolvimento, além de deixar à mostra da sociedade prefeitos descompromissados com a gestão.
“A Lei de Responsabilidade Fiscal é uma política privatista e elitista. Seu uso está diretamente ligado ao Fundo Monetário Internacional [FMI] para não deixar que os outros países cresçam”, lembra. 
Política

Zaeli propõe reestruturação da Guarda Municipal e centro para dependentes químicos
09/08/2012 - 13h38  
Da Redação
Na visita que realizou ao bairro Jardim Marajoara, na noite desta quarta-feira (08.08), o candidato a prefeito Tião da Zaeli (PSD) prometeu intensificar as ações para aumentar a segurança pública nos bairros de Várzea Grande. Na caminhada que teve inicio por volta das 18 horas, Tião visitou várias famílias, recebeu o apoio da comunidade e foi convidado a entrar na casa dos moradores.
Em uma ação que considerou muito proveitosa pelo contato positivo que teve com as famílias do Jardim Marajora, Tião conversou com moradores, falou sobre seus projetos, ouviu e tomou conhecimento dos problemas e anseios da comunidade. Assim como em outros bairros que visitou, o candidato foi bem recebido no Marajoara e contou com a atenção de todos.
Uma das moradoras do bairro, Dona Rita Souza se afirmou feliz por ter recebido Tião da Zaeli em sua casa e satisfeita pela oportunidade de falar em nome dos moradores. “Nunca nenhum candidato sequer passou pela nossa rua para saber do que precisamos. Conhecer pessoalmente o Tião foi importante. Confio nele e acredito que irá fazer um ótimo trabalho nos próximos anos, assim como tem feito até agora”, disse.
Ao falar do que precisa o Jardim Marajoara, Dona Rita destacou a insegurança. Explicando que a questão não depende somente da prefeitura, mas, principalmente do Estado, Tião prometeu atuar no sentido de elaborar políticas para redução da criminalidade, lembrando que a segurança pública é um dos assuntos que mais chamam sua atenção. “Pretendo cobrar do Estado melhor segurança para Várzea Grande e seus bairros”, resumiu Tião, que em sua gestão implementou várias ações no sentido de reduzir a criminalidade.
Uma delas foi a reestruturação da Guarda Municipal dotando a instituição de novas viaturas e motos, além de reequipar o pelotão e dotar o policiamento de cães farejadores treinados para atuação em rondas preventivas e repreensivas. Tião ainda formalizou parcerias com a Secretaria de Segurança Pública do Estado visando combater o tráfico de entorpecentes. Outra proposta de Tião é a criação de um centro de recuperação de dependentes químicos no município.

Sexta-feira, 10/08/2012, 01h35

Manifestação vira praça de guerra em Belém

Tamanho da fonte: 
A- A+

Esse foi apenas o primeiro grande ato de muitos que ainda virão”. Ainda recuperando o fôlego, era assim que Viviane Reis narrava os acontecimentos de poucos minutos antes, quando estudantes e Guarda Municipal entraram em confronto, ontem pela manhã, em razão de um protesto em frente à sede da Prefeitura de Belém.
A manifestação era contra o aumento da passagem de ônibus, de R$2 para R$2,20, e começou às 8h da manhã, com saída da escadinha da Estação das Docas. Ao chegar no Palácio Antonio Lemos, os estudantes esperavam ser recebidos pelo prefeito Duciomar Costa, a fim de iniciar uma possível negociação, mas não foi o que ocorreu. Em vez disso, cerca de 30 guardas municipais cercavam o prédio, impedindo a entrada dos manifestantes. Os jovens, então, interromperam por 10 minutos o trânsito na rua 16 de Novembro, na lateral da prefeitura.
Quando voltaram, iniciou a confusão. “Eles utilizaram de brutalidade com os estudantes. Nós só paramos em frente à prefeitura. Não houve tempo de nenhuma ação da nossa parte e eles simplesmente começaram a nos empurrar. Foi uma repressão grande, que já havia acontecido antes”, disse Viviane, do coletivo Juntos. Parte dos estudantes, oriundos de escolas públicas e universidades, registrou um Boletim de Ocorrência contra os guardas presentes na ocasião.
Quando sofreram a pressão, alguns estudantes teriam se indignado e jogado pedras contra os guardas. “Deixamos claro que não revidaríamos com violência. Isso foi uma ação de poucos estudantes, a maioria foi apenas vítima das armas dos guardas”, garantiu Viviane. No total, aproximadamente 300 pessoas integravam o protesto.
Um dos feridos foi o universitário Julio Miragaia. Ele foi atingido por uma bala de borracha no braço, caiu e ficou desacordado. O estudante foi atendido pelo Samu (Serviço Móvel de Urgência) e encaminhado ao hospital. Outros quatro estudantes, três homens e uma mulher, também foram atingidos por balas de borracha na perna e no braço. Após atendimento da equipe médica, eles foram liberados.



ATO
Na semana passada, os estudantes fizeram um ato em frente ao Ministério Público, onde protocolaram ação contra o aumento da passagem de ônibus e estão aguardando o retorno. Enquanto isso, o movimentou já marcou novo ato para a próxima terça-feira, realizando o mesmo trajeto, que encerra em frente à prefeitura.



GBEL
Segundo o inspetor Roberto Avelar, os estudantes teriam dado ordem de invasão, correndo então em direção ao prédio da prefeitura. “Fizemos uma linha de retenção para impedi-los de adentrar o espaço, mas eles revidaram nos jogando várias pedras e começando o tumulto”, conta. Foi então que os guardas utilizaram o arsenal de armas não letais, como gás lacrimogênio, spray de pimenta e balas de borracha, a fim de dispersar o movimento.
Sobre os estudantes feridos, o inspetor justifica que com tantas pedras sendo atiradas vários deles atingiram a si próprios, além de terem ferido também homens da instituição. “Vários guardas tiveram ferimentos leves, como cortes e escoriações, mas o guarda Rildo Albuquerque precisou ser levado a um hospital devido a um grande corte na cabeça”, disse.
Além de feridos dos dois lados do conflito, a confusão resultou ainda em uma vidraça quebrada e danos em colunas do Palácio Antônio Lemos, sede da prefeitura.
Anderson Castro, 31, do coletivo estudantil “Juntos” se aproximava do carro-som para pegar o microfone e tentar sensibilizar a Guarda e estudantes sobre o teor do ato quando uma bomba de efeito moral atingiu a cabeça dele, que desmaiou na hora. “Por sorte a bomba não explodiu, mas eu acabei levando dezpontos na cabeça”, relatou. Ele e mais quatro estudantes entraram com uma representação junto ao Ministério Público do Estado do Pará contra a Guarda Municipal de Belém, acusando-os de uso de força desproporcional.
O pavor pela forma como teriam se comportado os guardas teriam feito com que Julio Miragaia, 27, membro do coletivo estudantil “Vamos à Luta”, acabasse deslocando o ombro direito após cair sobre o próprio corpo ao tentar fugir no meio da multidão. Ele precisou ser socorrido pelo SAMU. O assessor de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado do Pará (Sintsep-pa), Adriano Abade, 24, estava fazendo a cobertura do evento quando foi alvejado por uma bala de borracha no ombro. A bala chegou a atravessar a correia da mochila.
Ferimentos semelhantes sofreram Raiza Gusmão, e Pedro Ivo, atingidos por tiros de bala de borracha nas costas. Segundo a advogada deles, Leila Mendes, o 2º promotor de justiça de Direitos Humanos e Controle Externo da Atividade Policial de Belém, Aldir Jorge Viana da Silva, está cuidando do caso. “Esperamos que todos os excessos sejam devidamente apurados e punidos”, deseja a advogada. O promotor determinou que os cinco estudantes passassem por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal, que foi feito na tarde de ontem.
Também passaram por perícia três guardas municipais. Francinaldo e J. Cordeiro, além do guarda Rildo da Costa, 42 anos, que levou uma pedrada na cabeça e deve ficar pelo menos dez dias afastado de suas funções. Após o resultado dos exames e da coleta de depoimentos, o MPE vai entrar com as representações cabíveis.
A Guarda Municipal de Belém se manifestou sobre o confronto durante o protesto contra o aumento da passagem de ônibus. Em coletiva à imprensa, a chefe da instituição, Ellen Margareth, afirmou que o que houve foi “um uso moderado de força” para conter as ações violentas de manifestantes que atiraram paus e pedras. Para Ellen, tudo que o efetivo da Guarda Municipal fez foi zelar pela segurança do patrimônio e da sua própria integridade. “Tínhamos um efetivo de 52 homens, todos armados. Se houvesse truculência o conflito teria sido muito pior”.
Segundo a diretora-superintende da GBel, a manifestação reunia cerca de 600 pessoas e seguia pacífica até que “certos indivíduos” incitaram os manifestantes à violência. “Certas pessoas foram lá para tumultuar. Não eram estudantes. Algumas vinham de passagens anteriores pela polícia por incitação à violência” disse, sem citar nomes.
Ela afirmou também que os estudantes tiveram a oportunidade de se manifestar dentro do Conselho Municipal de Transportes através da União Municipal dos Estudantes Secundaristas – UMES – antes dos protestos, mas esta teria se recusado a participar e não compareceu à votação da tarifa.
O diretor da UMES, Cleiton Rodrigues, confirmou que a entidade não participou da votação, mas questionou a forma como esta foi realizada, com convocação muito em cima da hora e em pleno mês de julho. Segundo ele, a entidade recebeu a carta de convocação para a assembleia menos de um dia antes da realização e não teve tempo de enviar representantes, pois seus conselheiros não se encontravam na cidade. Após serem privados de participar da votação, Cleiton afirma que o mínimo que esperavam era que a prefeitura recebesse os manifestantes e ouvisse o que eles tinham a dizer. “O aumento da passagem de ônibus não diz respeito somente aos estudantes, mas a todos que usam o meio de transporte, os argumentos da chefe da guarda municipal não invalidam a manifestação nem justificam a reação violenta”.
Segundo Ellen Margareth, o tumulto deixou três vítimas também entre os membros da guarda municipal. Um com o braço deslocado e outro com o dedo esmagado. O encarregado de posto Rildo da Costa, 42, sofreu um corte na cabeça por pedra atirada contra ele. “Não cheguei a ver a pedra sendo atirada, só senti o baque quando ela me atingiu. Tirei o boné e passei a mão na cabeça. Quando vi que ela estava cheia de sangue percebi que o machucado havia sido sério”. Há 16 anos na GBel, Rildo já presenciou outros confrontos em manifestações públicas e entende que, na profissão, está exposto a essas situações. “Faz parte da profissão”, disse, sem raiva ou rancor dos manifestantes. Rildo deverá ficar cerca de 10 dias afastado do serviço e seus companheiros um mês.
Os estudantes prometem voltar às ruas na semana que vem para continuar exigindo que a classe estudantil seja ouvida. Entre as reivindicações, além da redução do preço da passagem de R$2,20 para o valor cobrado até semana passada (R$2,00), o passe livre para estudantes e que a lei municipal que determina que os ônibus sejam de graça um domingo por mês seja finalmente implementada.
(Diário do Pará)



Cidade

Corumbá é a primeira a utilizar cães na Guarda Municipal

Fonte: Da redação em 12 de Agosto de 2012

Corumbá é a primeira cidade de Mato Grosso do Sul a utilizar cães no patrulhamento realizado pela Guarda Municipal e, para isso, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Finanças e Administração, implantou o Canil da instituição. O local tem como finalidade principal oferecer o suporte necessário à execução do policiamento preventivo e repressivo com o emprego de cães, mediante planejamento próprio, atuando isoladamente ou em apoio a outras forças.

O decreto assinado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, estabeleceu os princípios e doutrinas para organização e funcionamento do estabelecimento. De acordo com o comandante da Guarda, tenente-coronel Ubiratan Bueno, guardas já foram capacitados para utilizar os cachorros durante as operações de policiamento preventivo e proteção do patrimônio público.

"Vamos trabalhar em eventos locais e, futuramente, atuaremos em conjunto com as forças policias, como por exemplo, para encontrar entorpecentes com o uso dos cães", comentou Ubiratan. Antes mesmo de o decreto ser assinado por Ruiter, seis guardas municipais participaram, em maio deste ano, de um curso ministrado pela Força Nacional de Segurança. O guarda Alessandro Alencar Pereira de Souza participou também do Estágio de Adestramento e Emprego de Cães de Guerra, uma capacitação oferecida pela 14ª Companhia de Polícia do Exército, em Campo Grande. Com informações da assessoria

Notícias / Cidades

08/08/2012 - 09:06

Terceirizados deixarão de atender chamadas de emergência: 190 e 193

Da Redação - Victor Cabral
Foto: Victor Cabral
Terceirizados deixarão de atender chamadas de emergência: 190 e 193
O contrato com a empresa responsável pelo atendimento das linhas de emergência das Polícias Militar (190) e Civil (197), Corpo de Bombeiros (193) e Guarda Municipal (192) pode não ser renovado. Servidores que estão na reserva remunerada da Secretaria Estadual de Segurança Pública devem assumir o cargo a partir de 01 de outubro.

“O procedimento deve ser mudado novamente pra Instituições pela questão de legalidade. O contrato com a Pestalozzi foi feito há quase cinco anos e foi renovada anos atrás, mas dia 01 de outubro não pode ser renovada”, explicou o tenente coronel da Polícia Militar Eduardo Henrique Souza.

Outra opção, que pode ser adotada mas não é prioritária no momento, é a abertura de um processo licitatório. Porém, 60 policiais militares, civis e bombeiros devem assumir o atendimento, que é feito pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

 - Comitiva da Polícia Militar do Distrito Federal conhece Ciosp

 - Sejusp capacita equipe do Ciosp para atendimento a ocorrências de alta complexidade

“Hoje é essa a intenção, mas amanhã pode mudar. O caminho que estamos tomando aqui no Ciosp é pra que venham pessoas das instituições e elas sejam homens e mulheres pra trabalharem nessa função”, pontuou o tenente coronel Henrique.

Com a substituição da empresa terceirizada para servidores da reserva, pode ser que não consiga se chegar aos mesmos 60 atendentes no Ciosp. “Se não atingirmos a totalidade, 80 a 90% pelo menos serão de pessoas de reserva remunerada”, detalhou.
Ele ainda ressaltou que a mudança não vai impactar negativamente nas ruas. “Assim como é importante o policial nas ruas é no atendimento”. O tenente coronel Henrique frisou que com a mudança a população vai continuar tendo atendimento capacitado.

Atendimento terceirizado 

O atendimento do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) é realizado atualmente por 60 pessoas terceirizadas, divididos em três turnos, já que os números de emergência funcionam 24 horas por dia.

A população já reclamou da quantidade de perguntas que são realizadas pelos atendentes, mas o tenente coronel da Polícia Militar responsável pela coordenação do Ciosp, Eduardo Henrique Souza, disse que quanto mais informação os oficiais tiverem é melhor.

“A população não precisa se preocupar, o serviço é de emergência mesmo. Apesar de o atendente continuar perguntando, o nosso sistema permite que a viatura seja acionada e enquanto as perguntas continuam sendo feitas”, disse.

Referência de integração
A integração de atendimento em Mato Grosso começou em 2002 e se tornou referência para outros Estados. “Fomos os pioneiros nesse sistema e alguns Estados ainda não possuem esse sistema”, informou Henrique.

O tenente coronel ainda frisou que o sistema que é adota no Estado é uma exigência da FIFA para a Copa do Mundo 2014. “Tem que ter um espaço único, um espaço físico de trabalho integrado entre as forças para as ações poderem ser coordenadas desse espaço físico, que a gente está chamando Centro de Comando e Controle”.

08/08/2012 -- 17h27
Londrina: GM faz segurança em 5 postos de combustíveis
Redação Bonde com N.Com




 

A Prefeitura de Londrina divulgou, hoje (8), que Guardas Municipais estão sendo remanejados para fazer a segurança pública de cinco terrenos de postos de combustíveis, que foram reintegrados ao Município, em novembro de 2011. O número de guardas para segurança dos locais, será decidido pela Secretaria Municipal de Defesa Social.

objetivo do deslocamento de guardas municipais para esses espaços é dar mais segurança à população que transita pelo local, além de evitar danos ao patrimônio público e possíveis arrombamentos.

Os terrenos dos postos estão localizados no Aeroporto  Governador José Richa; no AutódromoInternacional Ayrton Senna; na avenida Dez de Dezembro (Via Expressa); no Terminal Rodoviário e dois estão na avenida Arcebispo Dom Geraldo Fernandes (Leste/Oeste). Os terrenos foram reintegrados quando acabou o contrato de permissão de uso estabelecido pelo município e a distribuidora de combustível Petrobras.
Viaturas da Guarda Municipal são apedrejadas em Sorocaba, SP
Segundo GCM, ataques foram feitos por usuários de drogas e traficantes. Vidros, lataria e bancos ficaram danificados.
Foto: g1.globo.com
 
Leia Também
Duas viaturas da Guarda Municipal de Sorocaba (SP) ficaram danificadas depois de serem apedrejadas durante patrulhamento. Segundo a GCM, os ataques foram feitos por usuários de drogas e traficantes.

O primeiro caso aconteceu no dia 1°, no bairro Habiteto. O veículo foi atingido quando os guardas se aproximavam de um grupo de adolescentes que preparavam cigarros de maconha e os vidros ficaram destruídos. As imagens dos menores foram flagradas pelo circuito de monitoramento. Após o ataque, os jovens conseguiram fugir.

O segundo foi no último sábado (4), quando outra viatura foi atingida por pedras no Parque das Laranjeiras. De acordo com a Guarda, elas foram lançadas por menores que davam cobertura a um traficante. O banco e a lataria do veículo ficaram danificados. O traficante foi preso, e os menores só não danificaram ainda mais a viatura porque foram contidos por tiros com balas de borracha para cima.

Fonte: g1.globo.com
 
Por:  Maratimba.com    |      Imprimir          
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!