Cadastre seu Email

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Editorial) Guarda Municipal precisa de polidez
Atualizada 9 de Fevereiro de 13 |  Comentários  Assine matérias como esta 
Tivemos a oportunidade de testemunhar um diálogo áspero entre motorista, proprietário de veículo (pagador de impostos diretos e indiretos que podem ser entendidos como parcela do salário de servidores públicos) e um Guarda Civil de Araraquara. O primeiro, ao ser repreendido num estacionamento que já comportava três veículos, disse que não existia placa anunciando como limite aquele número de carros. Tinha razão plena porque em seguida o guarda afirmou (sic) " a determinação é minha" .
O motorista usou de seu direito de discordar, não havia nada escrito e muito menos qualquer norma emitida pelo Contran. Com toda a paciência do mundo, o motorista disse: a determinação não tem sentido, se tem espaço para estacionar não posso porque o meu veículo seria o quarto?
O guarda respondeu: é que o lugar pode ser ocupado por alguma Van escolar e quer saber? Representa contra mim e pronto. Falou rispidamente e lacrou o dialogo que poderia ter sido esclarecedor e produtivo entre cidadão inteligentes e polidos.
Ah, no aniversário da Guarda Civil Municipal de Araraquara parabéns e votos de uma polidez crescente. Faz bem a todos...

Copyright 2013 JORNAL DE ARARAQUARA. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem permissão explícita do detentor dos direitos autorais.

PRAÇAS 08/02/2013

Guarda Municipal se instala em 15 locais da Capital

Todas as regionais foram contempladas com pelo menos um local com patrulhamento permanente


DEIVYSON TEIXEIRA
A Praia de Iracema é um dos locais contemplados com o esquema de patrulhamento permanente da Guarda Municipal



A Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) está com equipes permanentes em praças e locais públicos de Fortaleza. São 15 pontos distribuídos nas sete regionais da Capital que passam a receber equipes de três guardas por turno, conforme a Coordenadoria das Inspetorias Cidadãs da GMF.

O calçadão da Praia de Iracema e o Jardim Japonês são dois dos pontos beneficiados. Enquanto uma equipe de ciclopatrulhamento faz a cobertura na praia, outra, com viatura, tem como ponto de patrulha o jardim. A praia já tem um trailer que é posto fixo da GMF, perto do Estoril. O local estava fechado na manhã de ontem. No entanto, uma equipe em bicicletas foi vista pelo O POVO no aterrinho da Praia de Iracema.

O marceneiro Francisco Rodrigues diz que só costuma ver a presença de guardas no período noturno. “Caso ocorra um assalto, não tem ninguém para proteger. Senti medo de passar aqui”, revela, referindo-se ao trecho entre o aterrinho e a Ponte dos Ingleses. O ambulante Joaquim Alves avalia que a presença da guarda deve diminuir o clima de insegurança, principalmente ao meio-dia, quando o local é vazio.

De acordo com o subinspetor Wilson Oliveira, responsável pelo patrulhamento no Jardim Japonês, a equipe faz a ronda da área e depois se posiciona ali. “É um local de onde podemos avistar atitudes suspeitas”.

Praça das Flores

Na praça Eudoro Correia, conhecida como Praça das Flores, na Aldeota, a presença da guarda já é percebida por alguns frequentadores. “Melhora pouco, mas melhora. Tem cliente que ficava receoso de passar. Acho positiva a presença deles”, avalia Eugenio Rocha, dono de um boxe de jardinagem.

Em visita à praça, ontem, O POVO viu apenas um guarda municipal. Frequentadores relatam que assaltos sempre foram constantes no local.

ENTENDA A NOTÍCIA

Além do Jd. Japonês, da pça. Eudoro Correia e da praia, há operação na Pça. do Otávio Bonfim, no M. São Sebastião, na Pça. da Cidade 2000, na Pça. Dep. Manoel Rodrigues, na Pça. da Ig. de Fátima, na Pça. do Cj. Esperança, no Polo do J. Walter, na Pça. do L. Jacarey, no M. da Messejana, na Pça. da Ig. Matriz, no P. Público e na Pça. do BNB.



08/02/2013 - 19h02

Projeto aumenta pena para quem matar agentes da área de segurança pública

Arquivo/ Beto Oliveira
Alexandre Leite
Alexandre Leite: medida é uma reação à escalada de violência contra os agentes da segurança.
Tramita na Câmara o Projeto de Lei 4629/12, do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), que prevê pena de até 30 anos de reclusão para quem matar agentes públicos da área de segurança, como policiais, agentes penitenciários, oficiais de justiça, bombeiros militares, guardas civis, promotores e juízes.
Atualmente, o crime de homicídio é punido pelo Código Penal com pena de reclusão de 6 a 20 anos.
“Os meios de comunicação têm mostrado a escalada da violência contra os funcionários públicos da segurança. A Nação tornou-se refém dos criminosos, de delinquentes, e o cidadão esconde-se, atemorizado, ameaçado, diminuído”, diz o deputado.
Conforme o projeto, cometer atentado contra qualquer autoridade da segurança pública, bem como contra repartição da área de segurança pública, é um crime punível com reclusão de 4 a 8 anos. Se o atentado resultar em morte de agente público, a pena passa a ser de reclusão de 15 a 30 anos.
Na mesma pena incorre quem cometer atentado contra o cônjuge, companheiro ou parente consanguíneo até terceiro grau de agente de segurança pública.
Tramitação
O projeto tramita em conjunto com o PL 3131/08, que será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e pelo Plenário.
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!