Cadastre seu Email

sábado, 9 de março de 2013




05/03/2013 11h48 - Atualizado em 05/03/2013 16h34

Aprovados em concurso da Guarda Municipal de João Pessoa protestam

Concursados reclamam do atraso no início do curso de formação. 
Manifestantes reivinicam também uma posição da prefeitura.

Do G1 PB
1 comentário
Protesto é contra o atraso no curso de formação da Guarda Municipal  (Foto: Walter Paparazzo/G1)Protesto é contra o atraso no curso de formação da Guarda Municipal (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Alguns dos aprovados no último concurso da Guarda Municipal de João Pessoa fizeram, na manhã desta terça-feira (5), um protesto contra o atraso no início do curso de formação. Antonione de Castro, um dos aprovados, disse que o curso de formação deveria ter começado em novembro do ano passado. “Mas isso não aconteceu. A nossa revolta maior é que muitos pais de famílias deixaram o emprego que tinham, pediram demissão para se dedicar a esse concurso e até agora não fomos chamados”, afirmou.
Os manifestantes estavam até as 11h em frente ao quartel da Guarda Municipal, na rua Almirante Barroso, e em seguida seguiram para o Parque Solon de Lucena (Lagoa), no Centro de João Pessoa. Os manifestantes reivindicam a presença do secretário Municipal de Segurança, Geraldo Amorim. Um comissão de cinco pessoas foi formada para falar com o secretário.

“Não está tão atrasado assim. O prefeito atual assumiu há dois meses e o dinheiro não estava no orçamento para formação dos guardas. Estamos buscando em Brasília, no Ministério da Justiça, uma parceria para realizar o curso de formação”, declarou o secretário Geraldo Amorim.

Ainda de acordo com o secretário, a Guarda Municipal está precisando com urgência desse pessoal. Atualmente, a Guarda é formada por 600 guardas civis e passaria para 850 com os novos concursados. Segundo Amorim, a ideia de Luciano Cartaxo é fechar a gestão com 1.000 homens.

“Temos o maior interesse em chamar esse pessoal o mais rápido possível. Recebi a comissão e estou dialogando, pedimos paciência. A Secretaria é nova e está se estruturando, ainda temos dificuldade de fazer essas coisas com recursos próprios”, comentou Amorim.

A assessoria de imprensa da Superintendência de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob) disse que até as 11h não tinha informações sobre pontos de lentidão ou congestamento por conta do protesto
.

Eu não esperava', diz araraquarense eleita a guarda civil mais bela do país


05/03/2013 08h40 - Atualizado em 05/03/2013 11h27

'Eu não esperava', diz araraquarens

Mery Hellen Amaro venceu mais de 700 concorrentes em concurso nacional.
Competição no Facebook foi realizada por uma agente de Curitiba, PR.

Fabio RodriguesDo G1 São Carlos e Araraquara
346 comentários
Mery Hellen venceu mais de 700 candidatas (Foto: Mery Hellen/Arquivo pessoal)Mery Hellen venceu mais de 700 candidatas no
concurso (Foto: Mery Hellen/Arquivo pessoal)
Loira, 1,67 m. de altura e 57 quilos. Aos 34 anos, Mery Hellen Amaro foi eleita a Guarda Civil Municipal mais bonita do Brasil em um concurso realizado pelo Facebook. Nascida e criada em Araraquara (SP), ela venceu mais de 700 concorrentes de todo o país. “Até agora a ficha não caiu, estou muito emocionada. Eu não esperava, topei participar como uma brincadeira, sem pretensão, incentivada pelos meus amigos”, contou a mulher, que está há sete anos na corporação.

O concurso foi idealizado pela agente Inez Basso, de Curitiba (PR), com o objetivo de unir a chamada “Nação Azul Marinho” e chamar a atenção da sociedade para o trabalho dos guardas municipais. O resultado foi divulgado no domingo (3).

A competição foi dividida em duas partes. Na primeira delas, as candidatas tinham que postar uma foto na página da rede social. Assim que fez isso, em 16 de janeiro, Mery recebeu 200 ‘curtidas’, número que passou a 2.378 ao fim da primeira etapa. Na segunda fase, ela ficou entre as dez finalistas que foram avaliadas por sete jurados. Desses, seis garantiram o título à araraquarense, que receberá uma faixa e um troféu em Brasília no dia 3 de julho.
Mery Hellen está na Guarda Civil há sete anos (Foto: Mery Hellen/Arquivo pessoal)Mery Hellen está na Guarda Civil Municipal há sete
anos (Foto: Mery Hellen/Arquivo pessoal)
Sorte de principiante
Mery trabalha na Ronda Escolar e disse que recebeu muitos incentivos também dos alunos. Segundo ela, a torcida era grande pelo fato de a cidade ter uma representante no concurso.

Solteira e sem filhos, a guarda municipal acredita que teve sorte de principiante, afinal ela nunca havia participado de uma competição como essa. “Estou contente com o resultado e se pintar outros concursos quem sabe”, disse ela.

Mery afirmou ainda que toparia fazer um ensaio fotográfico e que está aberta para atuar em campanhas publicitárias desde que dê para conciliar com a sua rotina diária que inclui o primeiro ano do curso de graduação em engenharia civil e o trabalho na corporação.

“Eu sempre quis atuar na segurança pública porque adoro ajudar as pessoas. O meu trabalho é muito gratificante, gosto muito do que faço e me sinto realizada”, declarou.
Concurso no Facebook elegeu araraquarense a mais bela guarda municipal do Brasil Araraquara (Foto: Paulo Mantoanelli/Prefeitura de Araraquara)Concurso elegeu a mais bela guarda municipal (Foto: Paulo Mantoanelli/Prefeitura de Araraquara)
Concurso no Facebook elegeu araraquarense a mais bela guarda municipal do Brasil Araraquara (Foto: Paulo Mantoanelli/Prefeitura de Araraquara)Concurso elegeu a mais bela guarda municipal (Foto: Paulo Mantoanelli/Prefeitura de Araraquara)

Guarda Municipal do Rio está elaborando plano de carreira

Autoria:  em 5 março, as 0:01 Em Política

 

Guardas municipais do Rio poderão ganhar novo plano de carreira
Foto:
Fernando Quevedo
/ Globo – Rio
Guarda Municipal do Rio informou que está elaborando um plano de cargos e salários, que leva em conta o mérito, a antiguidade e a formação acadêmica como critérios de promoção. Os estudos a respeito dessa proposta estão sendo acompanhados pela Procuradoria Geral do Município (PGM). O plano de carreira é uma das reivindicações de um grupo de guardas que planeja fazer manifestação nesta quarta-feira.

eg , 04/03/2013 às 18:50

Guarda Civil não pode fazer policiamento, decide TRT

José Maria Tomazela | Agência Estado

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, com sede em Campinas (SP), julgou inconstitucional a atuação da Guarda Civil Municipal no policiamento ostensivo, como patrulhamento de ruas e abordagem de suspeitos. A atividade de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública é atribuição da Polícia Militar, segundo o juiz Tony Everson Simão Carmona, da 5ª Turma do TRT.
Em sentença divulgada nesta segunda-feira (4), o juiz condenou a Prefeitura de Laranjal Paulista, na região de Sorocaba, a pagar R$ 15 mil de indenização a cada um dos 32 guardas e à multa individual de R$ 500 por dia, caso continuem no patrulhamento.
Publicado em: 04/03/2013 05:33:07
Jovens são detidos após desacatar Guarda Municipal em Estância


Por volta das 20h 30 do último sábado, dia 2, dois jovens foram encaminhados até a DERPOL de Estância  pela equipe de ronda da GM do município sob a acusação de desacato.
Segundo as informações, os jovens estavam em uma motocicleta nas imediações da Praça Jackson de Figueiredo, próximo ao campos do IFS de Estância, quando encontraram a viatura da Guarda Municipal e iniciaram a sequência de desacatos.
As informações são de que os jovens passaram e chamaram os funcionários públicos de “CORNO”, fato esse, inicialmente,  deixado para lá pelos agentes de segurança patrimonial da cidade. Mais a frente, ao passar por uma rua próxima, os GM’s encontraram novamente os jovens que pela segunda vez entoaram o grito com o desacato que mais uma vez foi deixado para lá pelos guardas municipais. Porém,em um  terceiro encontro pelas ruas da cidade, os jovens tornaram a desacatar a equipe de ronda da Guarda que acabou então abordando a dupla e conduzindo os mesmos até a delegacia para prestar esclarecimentos.
Segundo relatos, os jovens estavam desabilitados e a motocicleta não estava regularizada, sendo conduzida até o prédio da SMTT.
Por: Pisca Jr

Teresina é a única capital do Nordeste que não tem Guarda Municipal


07/03/2013 09h13 - Atualizado em 07/03/2013 09h13


Lei que regulamenta o serviço foi aprovada pela Câmara em 2010.
Segurança dos prédios públicos é feita por uma empresa terceirizada.

Do G1 PI

Mesmo depois de três anos da aprovação da lei que prevê a criação de uma Guarda Municipal, Teresina ainda é a única capital do Nordeste que não tem segurança para proteção do patrimônio público. No Piauí, pelo menos seis municípios, já criaram suas guardas.
A cidade de Demerval Lobão, com pouco mais de 13 mil habitantes, já conta com 16 funcionários da Guarda Municipal. De acordo com o comandante, Flavio Azevedo, o serviço é fundamental para evitar roubos e danos ao patrimônio público.
Em Teresina, que tem quase um milhão de habitantes, o serviço foi aprovado ainda em 2010, mas até agora o projeto não saiu do papel. Segundo o secretário municipal de administração, Sérgio Honório, a prefeitura ainda não tem condições de implantar o serviço.
“Não será prioridade dessa nova gestão, a implantação da guarda municipal. Os custos seriam muito altos e a prefeitura não tem condições de arcar com o serviço”, explica Honório.
No domingo (3), dois homens armados invadiram a sede do Instituto de Previdência Municipal (IPMT), reviraram o local e arrombaram caixas eletrônicos. O fato mostra que falta segurança nos prédios públicos.
Para o especialista em segurança, José Bispo, problemas como esses poderiam ser evitados com a criação da guarda municipal na capital. “Eles não tem o poder de polícia, mas só a presença nos prédios públicos e na cidade, já inibe a ação de vândalos e criminosos”, afirma.
De acordo  com a Secretaria de Administração, uma empresa terceirizada é paga para fazer a segurança nos prédios públicos. O secretário reconhece que o projeto para criação da Guarda Municipal é relevante, mas não há como executar no momento.

Concurso Online

Guarda Municipal de Araraquara é a mais bonita do Brasil

divulgação

Há sete anos trabalhando na Ronda Escolar com a Guarda Civil Municipal, Mery Hellen é uma loira, com 1,67m de altura e 58 quilos, que chama atenção pela sua beleza, mesmo quando está fardada, de boné e colete a prova de balas
da redação | 06-03-2013 08:09:17
A guarda municipal de Araraquara Mery Hellen Amaro foi eleita a Guarda Civil Municipal mais bonita do Brasil, em um concurso realizado por meio do Facebook.
Há sete anos trabalhando na Ronda Escolar com a Guarda Civil Municipal, Mery Hellen é uma loira, com 1,67m de altura e 58 quilos, que chama atenção pela sua beleza, mesmo quando está fardada, de boné e colete a prova de balas.
Concorreram na primeira fase do concurso, cerca de 800 candidatos entre homens e mulheres. O maior número de curtidas foi o que definiu os 20 semifinalistas, que foram dez homens e dez mulheres.
Na segunda fase, realizada no último domingo (03), os candidatos foram avaliados online por setes jurados, durante uma semana. Mery explica que os jurados fizeram diversas perguntas para os semifinalistas, abordando a vida pessoal e profissional.
“Recebi seis votos, dos sete, e fiquei muito emocionada com o resultado”, conta, depois de dizer que entrou no concurso sem nenhuma pretensão.
Os quesitos avaliados pelo júri foram: postura, interação entre os colegas, demais concorrentes e jurados, além da beleza exterior. Os prêmios do concurso são: faixa comemorativa, troféu e brindes, que serão entregues na “V Marcha Azul Marinho”, a ser realizada no dia 03 de julho, em Brasília.
Além de eleger os mais belos guardas, o concurso foi motivado a fim de valorizar o guarda civil, alertando a sociedade para o trabalho realizado por eles e também para pedir a aprovação de leis que disponham do estatuto dos guardas civis.

PROPOSTA 06/03/2013

Prefeito poderá contar com PMs em sua segurança pessoal

A proposta enviada à Câmara Municipal estabelece que a proteção do prefeito passará a contar - além de efetivo da Guarda Municipal - também com homens cedidos pelos órgãos de Segurança Pública do Estado

DEIVYSON TEIXEIRA
A ideia da prefeitura é uma ação conjunta da Guarda e da PM

Vereadores da oposição na Câmara Municipal de Fortaleza criticaram ontem o convênio proposto pela Prefeitura para garantir a segurança do prefeito Roberto Cláudio (PSB). De acordo com o documento, a proteção do prefeito passará a contar - além de efetivo da Guarda Municipal - também com destacamento cedido pelos órgãos de Segurança Pública do Estado, entre eles a Polícia Militar.

A proposta de RC provocou reação da oposição, sobretudo entre vereadores petistas. Segundo Ronivaldo Maia (PT), líder do governo durante a gestão Luizianne Lins (PT), a ação retira da Guarda Municipal a prerrogativa de coordenar a segurança do prefeito. “Fortaleza tem uma Guarda Municipal muito capaz, que sempre cuidou impecavelmente da segurança do prefeito. Essa medida diminui a Guarda, porque demonstra falta de confiança do Roberto nela”, afirma.

Além disso, Ronivaldo Maia critica o uso de policiais militares para a segurança do gestor. “PM tem que estar nas ruas. Eu acho que isso é até um mal exemplo. Imagina só se essa moda pega? Cada prefeito do interior pedindo proteção da PM, justo em época de crise na segurança pública do Estado?, diz o vereador.

Em defesa da proposta, o líder do governo na Câmara, Evaldo Lima (PCdoB), afirma que, ao contrário de reduzir funções da Guarda, a gestão Roberto Cláudio vem promovendo ações no sentido de ampliar a atuação do efetivo. “Estamos investindo em qualificação e equipamento para a Guarda, e vamos abrir concurso para mil guardas”, afirma.

Prerrogativa
Presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Fortaleza (Sindiguardas), o vereador Márcio Cruz (PR) rejeita que o convênio represente uma perda de prerrogativas dos guardas. “A lei apresentada prevê uma ação conjunta da Guarda e da PM, o que é positivo. Se ela previsse a saída da Guarda Municipal dessa função, nós iríamos criticar”, afirma.

Segundo Márcio Cruz, a medida representaria na verdade um avanço para a categoria, uma vez que a mesma função costumava ser realizada, durante a gestão Luizianne Lins, por seguranças particulares armados. “Muitas vezes segurança contratado fazia segurança até de patrimônio, o que aí sim é competência da guarda”, diz. (Carlos Mazza - carlosmazza@opovo.com.br)

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA

Durante a gestão Luizianne Lins (PT), a segurança da prefeita era mantida por Guardas Municipais e vigilantes armados contratados. Agora, Roberto Cláudio (PSB) propõe que efetivo da PM substitua segurança privada.

SERVIÇO

Guarda Municipal de Fortaleza
Endereço: R Delmiro de Farias 1900 - Rodolfo Teófilo 
Fone: (85) 3066-2300

Saiba mais

A proposta não prevê a quantidade de policiais militares que poderão ser cedidos para a proteção do prefeito Roberto Cláudio (PSB)

O destacamento de policiais militares ou de quaisquer outros servidores de órgãos de Segurança Pública do Estado depende também de liberação do governador Cid Gomes (PSB)

A mensagem de RC prevê também proteção apenas para o prefeito, o vice-prefeito e demais autoridades nomeadas pela gestão. Não há qualquer menção a familiares de Roberto Cláudio

 

Prefeitura comemora os 23 anos da Guarda Municipal

Foto: Jader Souza
A prefeita Teresa Surita participou na manhã desta sexta-feira (8), da comemoração dos 23 anos da Guarda Municipal de Boa Vista e da cerimônia de formatura dos agentes do Grupo de Operações Especiais. Durante o evento, realizado na sede da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Trânsito (SMST), as agentes de trânsito e guardas municipais também foram homenageadas com um café da manhã para celebrar o Dia Internacional da Mulher.

Única mulher eleita como prefeita de uma capital brasileira, Teresa lembrou a realização do concurso público realizado em 2001, durante sua segunda gestão à frente da Prefeitura, que permitiu pela primeira vez a inclusão das mulheres no quadro de servidores da Guarda Municipal e nos cargos de agentes de trânsito. "Tive a satisfação de realizar o concurso, que permitiu o ingresso das mulheres na Guarda Municipal. Isso me honra muito e tenho certeza que também contribui com o trabalho desenvolvido por nossa Guarda municipal", comentou Teresa.

Ao fazer uma reflexão sobre as mudanças conquistadas pelos profissionais da segurança municipal, que deixaram de ser apenas vigilantes de prédios públicos e passaram a exercer um importante papel na segurança dos boa-vistenses e na preservação do patrimônio, Teresa destacou a importância de buscar melhorias para fortalecer o trabalho dos guardas municipais e dos agentes de trânsito.

Entre as metas está a reformulação do plano de cargos e salários, promoção de treinamentos e aquisição de novos equipamentos. “Não vou medir esforços para trabalhar e buscar as parcerias necessárias para fortalecer a Guarda Municipal. Nós queremos que os guardas tenham orgulho de fazer parte deste quadro de profissionais e que tenham consciência do quanto representam para Boa Vista", disse a prefeita.

Guarda Municipal – Criada em março de 1990, atualmente conta com um efetivo de 290 profissionais, sendo 28 mulheres, divididos nos grupos de Ciclo Patrulha, Grupo Tático Municipal e Rondas Ostensivas Municipais.
Aumenta o número de guardas municipais em greve
Publicado em 08/03/2013, às 11h22 
Última atualização em 08/03/2013, às 11h22
Volta Redonda
Sobe para 25 o número de guardas municipais que aderiram à greve dos servidores públicos, na quarta-feira (6) eram 12 grevistas. Eles se aglomeraram nesta manhã (8), em frente à sede da GM na Ilha São João.
Segundo o comandante da Guarda Municipal, Major Luiz Henrique Monteiro Barbosa, o número de efetivo em greve ainda não foi contabilizado, pois, há agentes de licença e de férias.
Ele afirmou que os grevistas são guardas que estão saindo do plantão e com isso o efetivo não foi alterado. Os agentes em serviço continuam trabalhando normalmente, disse o Major. Porém, moradores da cidade afirmam que o tempo médio para atendimentos simples como registro de Brat aumentaram muito - fato confirmado pela assessora da Guarda Municipal, Vera Cuiabano.


Leia mais: http://diariodovale.uol.com.br/noticias/1,70335,Aumenta-o-numero-de-guardas-municipais-em-greve.html#ixzz2N3bnDoWR

8/3/2013 às 21h04

Guarda Municipal Armada: novo paradigma na construção da segurança pública municipal

DIÁRIO DA MANHÃ
JOSÉ CARLOS DA SILVA
Um homem de 24 anos foi preso na sexta-feira (18) após atirar contra um guarda municipal, dentro da Casa de Acolhida Cidadã, no Setor Campinas, em Goiânia. De acordo com a vítima, ele e outros colegas foram acionados para comparecer na unidade, pois um grupo estava fumando pedras de crack no local. “Quando entramos na unidade ele já pegou a faca e, quando tentamos fazer a abordagem, ele pegou a arma e efetuou o disparo que pegou de raspão na minha mão”
Viatura 1980 da Guarda Municipal de Goiânia é alvejada no Jardim Curitiba, Dia 17/09/2011 por volta das 14h30min, enquanto os mesmos patrulhavam as ruas do bairro.
Em 15.02.2012, Uma viatura da Guarda Municipal de Goiânia foi alvejada com três tiros. O fato aconteceu enquanto era feito patrulhamento de rotina na Escola Municipal Presidente Vargas, no mesmo Setor João Vaz.
Dois rapazes foram presos acusados de atirarem em uma guarda municipal no Lago das Rosas em Goiânia.
As notícias acima foram transcritas na íntegra dos vários jornais que circulam em nossa cidade. Elas demonstram o quanto o efetivo da guarda municipal de Goiânia está exposto, colocando em risco todos os dias a vida de homens e mulheres que trabalham nessa instituição. Embora, já predito no estatuto do desarmamento (art. 6º, §7º), a implantação do porte de arma de fogo para Guardas Municipais é de complicada materialização, exatamente pela disseminação da cultura antiarmas que a própria lei estabelece. Ainda assim, a medida já vale em grandes centros, como São Paulo, onde o desempenho da guarda armada já é visto com naturalidade.
Embora concorde com essa ideia, prefiro ver enterro de bandido a de um Guarda Municipal, pai de família, que sai com a intenção de realizar um trabalho de qualidade para garantir a segurança dos munícipes. Nesse sentido, se faz necessário que o esse profissional goze também de segurança.
A providência é essencial e sequer deveria ser questionada. Com o crescimento da violência urbana contemporânea, não há como se pensar o funcionamento de forças ligadas à segurança pública sem lhes oferecer os meios eficazes de atuação, dentre os quais todos os EPIS - equipamentos de Proteção Individuais necessários para sua proteção: coletes, tonfas, taser e principalmente a arma de fogo. 
O uso de armas pela Guarda Municipal, por outro lado, exige treinamento específico para os que atuarão com tais equipamentos. E isso já vem sendo muito bem feito em Goiânia. Ninguém está falando em armar indistintamente qualquer força que seja, mas em conceder a agentes treinados e preparados técnica e psicologicamente para proteger o patrimônio e principalmente o cidadão, um instrumento que garanta também sua segurança. Incerta é a situação atual, com agentes expostos nas ruas sem sequer poderem se defender. No meu entendimento, todos os que atuam em ações correlatas à segurança pública devem dispor de armas de fogo.
De acordo com o Estatuto do Desarmamento, de 2003, os municípios com mais de 50 mil habitantes podem armar suas guardas municipais. Desde lá, muitas capitais adotaram o uso de armamento pela guarda. Cidades como São Paulo, Porto Alegre, Vitória, Florianópolis, Curitiba, Belém e Aracaju já usam armas há algum tempo.
Outras capitais estão em processo avançado e devem passar a usar armas em breve, como Belo Horizonte e Goiânia, onde os convênios com a PF (Polícia Federal) – responsável pelo porte de armas - já foram assinados. Na capital mineira, por exemplo, as armas já foram compradas, e apenas os portes são aguardados e em Goiânia alguns Guardas Municipais já passaram pelo exame psicotécnico e curso de tiro (etapas obrigatórias para o armamento) e estão com o porte devidamente autorizados, faltando apenas à regulamentação da nova nomenclatura da instituição que se denominará Guarda Civil Metropolitana (o projeto já foi enviado no ultimo dias 28/02 para Câmara dos Vereadores para votação). Concluídas essas etapas a prefeitura/comando da guarda poderá finalmente emitir as carteiras funcionais com autorização para porte de arma.
Todos os requisitos legais para a instituição Guarda Municipal ser uma instituição armada vem sendo feito com rigor, seriedade e, sobretudo com responsabilidade. Já existe uma lei municipal que defini isso claramente, como também,
já foi oficializado o controle e fiscalização pelo Ministério do Exército, para a compra e registro de suas armas; o efetivo começou a ter treinamento especializado na prática de tiro, passaram por avaliação psicológica e também se formalizou o convênio com a Polícia Federal para emissão dos referidos portes, inclusive já constando no Sistema Nacional de Armas os números dos portes de cada um dos que concluíram todos os requisitos necessários. 
Portanto quando se discute se a Guarda Municipal pode ter suas armas ou não, está se discutindo algo que já é regulado por Lei no Brasil. As Guardas Municipais são amparadas por lei para uso de armas para os fins a que se destinam desde que, cumpram a lei.
Ainda se discute calorosamente a questão da inclusão ou não das Guardas Municipais, na colaboração com as polícias na questão da segurança pública, mais especificamente no policiamento preventivo. Além de ser uma matéria constitucional muito discutida, nos parece haver uma intenção clara do Governo Federal em atender o clamor da sociedade por mais segurança e das Guardas Municipais desejarem colaborar com as polícias. Isso não se dá ao arrepio da Lei. Podemos observar uma legislação interessante: O Decreto-Lei nº 88.777 de 1983 (R-200) - Regulamento para as Polícias Militares, no seu § 1º e 2º, refere-se ao zelo dessas polícias para que as Guardas Municipais executem seus serviços (ou seja: não obstacular, não complicar, não impedir as guardas de trabalharem), bem como "se convier à administração das Unidades Federativas e dos municípios, as Polícias Militares poderão colaborar no preparo dos integrantes das organizações (como ocorreu em Goiânia) de que trata o parágrafo anterior e coordenar as atividades do policiamento ostensivo com as atividades daquelas organizações".
Da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, Coordenada e promovida pelo Ministério da Justiça, saiu o Plano Nacional de Segurança Pública, ouvindo o clamor público por segurança, assume em seu compromisso nº 7: a Redução da Violência Urbana, e dentre outras ações, a de nº 56 textualmente cita: 
  1. Guardas Municipais 
Apoiar e incentivar a criação de guardas municipais desmilitarizadas e desvinculadas da força policial, estabelecendo atribuições nas atividades de segurança pública e adequada capacitação, inclusive para a área de trânsito. 
Fica clara a intenção ao atendimento das necessidades de segurança e o caminho para em parceria, surgirem convênios de colaboração nesse sentido.
Diante de tudo que acabamos de mencionar cabe o seguinte questionamento: É lícito complicar? Porque não deixam as Guardas Municipais que puderem arcar com homens, armamento, viaturas, etc, colaborarem na segurança pública? A quem interessa a desunião das Guardas com as polícias e vice-versa? Estado e Município não estariam interessados no bem comum? Qual é o medo?
Através de convênio firmado entre a Agência da Guarda Municipal de Goiânia (Prefeitura Municipal de Goiânia) e a Polícia Federal, foi permitida a atuação da Guarda Municipal de nossa capital com armas de fogo, reivindicação antiga da categoria e que já contava com a simpatia de algumas organização não governamentais, associações comerciais e lideranças comunitárias, embora até então jamais alcançada.
Fazer uma análise puramente teórica da atuação da Guarda Municipal, dissociando-a da realidade social não contribui para melhorar a segurança das cidades. Não podemos avaliar a guarda municipal apenas do ponto de vista ideológico, é fundamental entender como ela atua na prática e, principalmente, sua importância no auxílio às forças de segurança habituais. Basta que vejamos um crime muito comum atualmente, que é o furto a caixas eletrônicos, para entender como essa força pode auxiliar na segurança pública, pois esses equipamentos, não raras vezes, estão instalados em prédios públicos, cuja proteção é confiada, justamente, à Guarda Municipal. Não dispondo de armas, não se pode esperar que os guardas evitassem ações como essas. Mesmo assim, em Goiânia, a Guarda Municipal é notícia quase todos os dias, com ações eficazes no combate a violência: recuperando veículos furtados, evitando assaltos, combatendo o tráfico de drogas, a pedofilia e realizando um trabalho preventivo exemplar.
Sem estrutura adequada e sem porte de arma já realizam tudo isso imagine o que não fariam devidamente estruturados? Portanto, subutilizar esse instrumento tão eficaz no combate à criminalidade é no mínimo jogar o dinheiro do contribuinte pelo ralo, já que a Guarda Municipal pode e deve se envolver de maneira mais efetiva no combate a violência urbana. A pura e simples presença de uma guarda municipal, a qual se sabe desarmada, não produz nenhum efeito prático na segurança do município, servindo, em verdade, como elemento figurativo, o que não se justifica, em absoluto, pelo grande gasto público que a implantação da força demanda.
Tamanha é a sua importância que foi destaque nas propostas dos candidatos a prefeito de nossa capital no pleito eleitoral de 2012, tendo de maneira especial compromissos firmados junto à categoria pelo nosso prefeito Paulo Garcia. Depositamos nosso voto de confiança em suas propostas., acreditando que ele cumprirá sua palavra Na prática isso parece que já acontecendo com indicação da Drª. Adriana Accorsi para ser titular da SEMDEF – Secretaria Municipal de Defesa Social. Ainda falta muito... Restituir o comanda da AGMG a um guarda de carreira, aprovação do plano de carreira, sede própria, fardamento adequado, viaturas, enfim estruturar de verdade a corporação para que possamos desempenhar de fato o efetivo policiamento comunitário.
A presença de armas com a Guarda Municipal, por outro lado, não é um risco pelo, pois demanda treinamento específico para os que atuarão com tais equipamentos. Não estou falando em armar indistintamente qualquer força que seja, mas em conceder a agentes capacitados e previamente treinados os meios necessários à sua atuação. Arriscada é a situação atual, com agentes expostos nas ruas sem sequer poderem se defender. No meu entendimento, todos os que atuam em ações correlatas à segurança pública devem dispor de armas de fogo. E em nossa capital esse processo já se torna finalmente uma realidade.
Para os conservadores que temem a perda de poder, e tem medo da concorrência, a Guarda Municipal vem como uma parceira importante na construção de uma sociedade pacificada. Faço minhas a palavras do nobre jornalista Percival de Souza num seminário sobre segurança pública no Hotel Glória no Rio de Janeiro, quando afirmou categoricamente: “Calma gente”! Tem bandido prá todo mundo.  (José Carlos da Silva, ex-diretor de Unidades de Saúde em Goiânia, ex-diretor do Crof, ex-conselheiro tutelar da região noroeste, ex- coordenador do Programa Bolsa Família em Goiânia, psicólogo especialista em Gestão de Pessoas, membro da Guarda Municipal de Goiânia e diretor de Assistência Social e Saúde da Associação dos Servidores da Guarda Municipal de Goiânia).
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!