Cadastre seu Email

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Guarda Municipal impede sequestro de bancária em Indaiatuba, SP


Criminosos invadiram casa ao abordar o marido dela, segundo os GMs. 
Grupo fugiu pelos fundos e deixaram munição e pistola para trás.

Do G1 Campinas e Região
1 comentário
Guarda Municipal  impediu osequestro de uma bancária, na noite de quinta-feira (20), no Jardim Califórnia, em Indaiatuba (SP). Segundo a GM, os criminosos entraram na casa junto com o marido da funcionária do banco, mas foram vistos pelo vizinho. Ele avisou guardas municipais passavam pela rua e os suspeitos fugiram pulando o muro da residência. Houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido.
Dentro da casa
Os agentes de segurança tocaram a campainha e conversaram com a bancária. Orientada pelos criminosos, ela disse que estava tudo bem, mas o agente a puxou para fora e os criminosos reagiram efetuando disparos. Eles pularam o muro e fugiram pelos fundos de outra casa e chegaram a quebrar uma cerca elétrica para escapar.
Ainda segundo a Guarda, os suspeitos deixaram para trás quatro carregadores de fuzil com mais de 120 munições e uma pistola calibre 380. A polícia acredita que a ação dos suspeitos duraria até a manhã desta sexta-feira (21), no horário em que a bancária fosse trabalhar. Ninguém foi preso.
  •  
Criminosos deixaram munição e pistola após fuga em Indaiatuba (Foto: Reprodução/EPTV)Criminosos deixaram munição e pistola após fuga em Indaiatuba (Foto: Reprodução/EPTV)

Guardas municipais não vão trabalhar 

Decisão foi publicada no Diário Oficial do Município de quinta-feira (20).
96 profissionais passaram usar armas após receberem licenças para porte.

Do G1 BA
1 comentário
Os Guardas Municipais de Salvador não irão trabalhar armados durante o carnaval. A determinação foi publicada no Diário Oficial do Município de quinta-feira (20). Noventa e seis profissionais começaram a usar armamento no dia 3 de fevereiro, após o prefeito ACM Neto entregar as licenças para os portes de arma à primeira turma qualificada.
Através de nota, a prefeitura informou que os guardas vão trabalhar em "caráter preventivo em apoio a diversos órgãos municipais". Durante a folia eles poderão usar os seguintes equipamentos: tonfa (tipo de cassetete), algema e arma de baixa letalidade (de choque).
SegurançaA prefeitura afirma ainda que durante a folia os guardas vão utilizar câmeras instaladasdentro e fora do circuito. Cerca de 950 agentes irão trabalhar na capital baiana no carnaval, informou o órgão municipal.
Durante a solenidade para entrega das licenças aos guardas municipais, o prefeito ACM Neto disse que a decisão pela liberação no uso de armas teve como objetivoaumentar a segurança dos moradores. Segundo a Prefeitura de Salvador, atualmente, a Guarda Municipal realiza trabalho de prevenção em 14 das 40 praças de grande porte da cidade. Em duas delas, a do Campo Grande e a do Largo de Roma, os profissionais atuam 24 horas. A corporação conta com um efetivo de 1.296 homens, 40 viaturas e um ônibus.
primeira turma qualificada da Guarda Municipal para atuar armada em Salvador passou por um treinamento com aulas teóricas, de tiros e capacitação psicológica. No dia 31 de janeiro, o gerente de operações da Guarda Municipal, Carlos Damasceno, informou que a expectativa é de que outra turma seja iniciada ainda este ano.
"A gente quer dar continuidade, mas é um trabalho cauteloso. Queremos colocar a guarda armada de forma responsável. Para o efeitivo da Guarda Municipal que temos hoje o resultado está sendo altamente satisfatório, mas pode ser melhorado", disse Damasceno na ocasião.
tópicos:

Guarda Civil é afastado após atirar em jovem de 19 anos em São José


Vítima ficou 17 dias internado e precisou amputar a perna direita. 
Guarda disparou dois tiros alegando legítima defesa; caso é investigado.

Do G1 Vale do Paraíba e Região
4 comentários
Jovem perde a perna após ser baleado por guarda civil em São José (Foto: Carlos Santos/ G1)Jovem perde a perna após ser baleado por guarda civil em São José (Foto: Carlos Santos/ G1)

O caso aconteceu no dia 2 de fevereiro após uma briga entre os vizinhos e já foi encaminhado pela polícia para a Justiça. A prefeitura decidiu retirar o guarda das ruas, enquanto não é concluído o processo para apurar o caso aberto pela Secretaria de Defesa do Cidadão.
Um guarda municipal da Prefeitura de São José dos Campos foi afastado de suas funções nas ruas após atirar duas vezes contra um jovem de 19 anos --os tirosresultaram na amputação da perna direita do entregador Diogo Alves, que é vizinho do guarda na Vila Nair, região central.
Segundo a polícia, o servidor da prefeitura alegou que disparou contra o entregador em legítima defesa, já que o jovem teria tentado roubar sua motocicleta, que foi encontrada queimada após o caso. Já a vítima dos disparos afirma ter sido baleado após uma discussão provocada pelo irmão do guarda, com quem ele teve um desentendimento no dia anterior.

"O irmão dele fica usando droga na porta da casa da minha mãe e desrespeita o pessoal todo, sempre arruma confusão no bairro. No dia seguinte, ele (o guarda) foi até em casa, discutimos na rua e o irmão dele ficou apavorado e falou para atirar em mim. Foi aí que ele disparou dois tiros, um na bacia e o outro na perna. Aí eu já caí no chão", disse.
Por conta da acusação do guarda - de que Alves teria tentado roubar sua moto -, o entregador ficou sob escolta policial durante os 17 dias que ficou internado no hospital municipal. Após receber alta, ele seria encaminhado ao Centro de Detenção Provisória do Putim, mas o advogado dele conseguiu com que ele responda a acusação em liberdade.
  •  
Jovem perde a perna após ser baleado por guarda civil em São José (Foto: Carlos Santos/ G1)Jovem perde a perna após ser baleado por guarda
civil em São José (Foto: Carlos Santos/ G1)
"Fiquei algemado no hospital. Disseram que eu tinha uma arma, reviraram minha casa e não encontraram nada. Isso foi uma humilhação, não roubei nada, sou vítima. Estou sendo acusado de uma farsa, uma injustiça", afirmou.
"Não consegui ver meu filho, não deixaram ver meu filho no hospital. Ele ter perdido a perna é dói muito, mas o pior é que a gentevive com medo e sem saber como vai ser porque é ele que me ajudava a pagar tudo", disse a mãe dele, Silvia Luzia dos Santos.

A Polícia Civil abriu investigação sobre o caso, mas relatou o inquérito ao fórum sem uma conclusão definitiva. "O que posso dizer é que têm testemunhas defendendo as duas versões. Estamos aguardando o Ministério Público nos informar se precisa de mais alguma manifestação nossa, mas agora cabe à Justiça decidir", disse o delegado Fernando César Oliveira.

Por nota, a Secretaria de Defesa do Cidadão informou que o guarda envolvido no caso estava de folga e que a arma usada por ele é particular e foi apreendida. A pasta informou ainda que foi aberto processo administrativo interno para apurar o caso e que o guarda atualmente está realizando serviços administrativos.
Mulher se queixa de atendimento e agride médico e enfermeira no posto do Aero Rancho
   
Cassilândia Jornal  
 Cr�ditos da Foto: Cleber Gellio/Arquivo midiamax 
Uma mulher de 57 anos foi detida pela Guarda Municipal depois de agredir um médico e uma enfermeira no CBS do bairro Aero Rancho, em Campo Grande. Ela estava acompanhando um paciente que se queixava de fortes dores na coluna. A agressão aconteceu por volta das 15 horas desta quinta-feira (20).
De acordo com a polícia, a mulher estava acompanhado um paciente. Quando estavam sendo feitos os procedimentos necessários, a acompanhante se queixou do atendimento. Como a mulher estava alterada o médico tentou conversar com ela.
A mulher gritou com o médico e afirmou que todos no CRS eram “vagabundos que não queriam trabalhar”. Quando o médico pediu que a mulher se acalmasse, a autora afirmou que ele merecia apanhar e que a situação não ficaria assim.
A Guarda Municipal foi chamada e deteve a mulher, a levando para uma sala. Nesse outro ambiente a mesma teve que ser algemada, pois ela estava brigando com a enfermeira que estava no local. A mulher foi levada a delegacia, para as medidas cabíveis. 


Fonte: Nealla Machado e Arlindo Florentino/midiamax.com.br

Delegado pede escala da GM da noite em que rapaz levou tiro em Piracicaba



Adolescente disse que quarta-feira foi baleado no ombro por um guarda.
Corporação da Prefeitura de Piracicaba diz que apura o que aconteceu.

Do G1 Piracicaba e Região
7 comentários
O delegado Ruy Luiz Ramires, do 6º Distrito Policial (DP) de Piracicaba (SP), enviou ofício à Guarda Municipal em que pede a escala do plantão do dia e da noite de quarta-feira (19), quando um adolescente foi baleado por um guarda durante abordagem no bairro Alvorada. Ramires instaurou inquérito para apurar a ocorrência.
Adolescente foi baleado durante revista da Guarda Municipal, em Piracicaba (Foto: Leon Botão/G1)Adolescente foi baleado em revista da Guarda
Municipal de Piracicaba (Foto: Leon Botão/G1)
O jovem de 16 anos foi baleado ao tentar defender o irmão mais novo, de 14 anos, que era revistado pelos guardas, por volta das 22h. Segundo relato da vítima, eles andavam de bicicleta quando foram parados. Ele tentou argumentar que o irmão não havia feito nada de errado e que os GMs deveriam liberá-lo. "Foi quando um deles começou a me xingar e atirou em mim", explicou o adolescente, atingido no ombro pelo disparo de arma de fogo.
Os dois jovens disseram à polícia que o GM que atirou era magro e alto; já o outro era mais baixo e gordo. A vítima foi levada ao pronto-socorro do bairro Piracicamirim, onde recebeu atendimento e foi liberada, já que a bala atravessou o ombro e não ficou alojada.

"Eles apenas descreveram que um dos guardas era magro e o outro, gordo", relatou o delegado. Além de abrir o inquérito e de enviar o ofício à GM, o delegado informou que irá solicitar à Secretaria Municipal da Saúde que apresente a médica que atendeu o adolescente baleado. "Ela provavelmente terá condições de identificar os guardas", relatou Ramires.
Investigação

"Abri o inquérito depois de colher o depoimentos dos dois adolescentes envolvidos para ver se conseguimos identificar os guardas municipais envolvidos e investigar o que, de fato, aconteceu", disse o delegado ao G1 nesta sexta-feira (21). Segundo Ramires, durante a conversa, os jovens demonstravam estar com medo de dar detalhes sobre a identidade dos guardas.
"Atirou para matar"
A mãe dos dois adolescentes, uma dona de casa de 37 anos, disse ao G1 que toda a família não quer sair na rua por medo de retaliação. "É um absurdo um guarda atirar contra uma pessoa 'do nada', sem ameaça nenhuma. O guarda atirou para matar. Da mesma maneira que acertou o ombro, ele poderia acertar o coração e matar meu filho", afirmou a mulher.
Reposta da corporação 
A Guarda Municipal informou, por meio de assessoria de imprensa, que a investigação do caso é de responsabilidade da Polícia Civil e que, "se ficar constatado que autoria do disparo foi de um dos guardas civis de Piracicaba, a corporação se encarregará de instaurar processo disciplinar administrativo"
tópicos:
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!