Cadastre seu Email

terça-feira, 27 de maio de 2014

SD BOMBEIRO GO

triste vi a reportagem,infelizmente mas uma cidadã de bem vai,só fico imaginando um vagabundo fica dia e noite se drogando,leva vários tiros,não morre,nunca pega uma infecção hospitalar,ai um de bem morre assim,


Paes apoia lei para uso de armas não letais pela Guarda Municipal do Rio

Prefeito declarou apoio à medida durante reunião sobre a Copa do Mundo.
Emenda à Lei Orgânica tramita na Câmara dos Vereadores.

Guilherme BritoDo G1 Rio
O prefeito Eduardo Paes afirmou, nesta sexta-feira (16), ser a favor do uso de armas não letais pela Guarda Municipal do Rio. A declaração foi feita após reunião sobre a Copa do Mundo no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul. O prefeito endossa a emenda à Lei Orgânica municipal que prevê que os guardas municipais poderão usar sprays de pimenta e tasers — armas de choque — como forma de proteção. A emenda à lei tramita na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro.
Em setembro do ano passado, o Ministério Público obteve na Justiça uma liminar que proíbe a Guarda Municipal de usar esse tipo de armamento.
"Eu apoio [a emenda à lei]. Sou contra a guarda armada com armas de fogo, mas a Guarda Municipal tem um papel complementar na segurança pública. A gente aqui no Rio já utilizava spray de pimenta mas houve uma decisão judicial que impediu a gente de utilizar. Há projetos na Câmara Municipal para mudar a lei orgânica que estava impedindo isso", disse o prefeito Eduardo Paes.

A lei complementar sobre o assunto, que já está em vigor desde 2013, diz que o guarda municipal deverá estar capacitado para utilizar esses instrumentos de defesa. Além disso, a medida diz que a conduta de uso das armas não letais deve reduzir ao mínimo os danos e lesões, preservando a vida humana, além de assegurar a prestação de assistência e socorro médico ao ferido.   
Segundo a assessoria do presidente da Câmara Municipal, Jorge Felippe (PMDB), para ser aprovada, a emenda à Lei Orgânica precisa de 34 votos favoráveis. Ao todo, 51 vereadores integram a Casa. O projeto de emenda recebeu 28 assinaturas e deve ser votado antes do início da Copa do Mundo.

Carro da frota da Guarda Municipal de Jarinu é incendiado

Por: G1.globo.com
Um carro da frota da Guarda Municipal de Jarinu (SP) foi alvo de ação de vândalos na noite de quarta-feira (14). A viatura, que segundo a GM era nova, foi incendiada quando estava no pátio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da cidade.
Por causa das chamas e explosões, documentos, cestas básicas e cobertores que estavam armazenados em uma das salas também foram queimados.
A polícia trabalha com a hipótese do autor do incêndio ser um ex-funcionário ou alguém que quis praticar um ato de vandalismo. A perícia esteve no local. O laudo deve sair em até 30 dias.
Leia mais:
CIDADE
Tamanho do texto: A A A A
Geórgia Santos - 18/05/2014

Autoridades discutem segurança na rodoviária


Prefeitura, Polícia Militar e Ubercon, empresa responsável pela administração do terminal rodoviário de Uberaba, realizaram mais uma reunião para discutir a segurança no local. Desta vez o encontro contou com a presença do prefeito Paulo Piau. Entre as medidas definidas está a disponibilização de funcionários, pela Ubercon, para a vistoria do terminal, os quais, em caso de atitudes suspeitas, deverão acionar a Polícia Militar ou a Guarda Municipal.
Na semana passada a rodoviária foi palco de uma tentativa de homicídio. O fato chamou a atenção de todos e esquentou as discussões para que sejam tomadas medidas efetivas que ofereçam segurança aos passageiros, bem como aos comerciantes do local. O principal incômodo, e que se refere à maioria dos casos de reclamações na rodoviária, são os andarilhos e usuários de drogas. É em relação a este transtorno rotineiro que as autoridades e a empresa estão pensando em tomar atitudes. Já foram realizadas algumas reuniões e a intenção é reforçar a segurança no terminal, com agentes da GM, policiais e funcionários.
“Nos últimos encontros que tivemos ficou estabelecido que a Ubercon vai colocar no terminal funcionários uniformizados, e não seguranças ou vigias, pois o nosso maior problema são os andarilhos, e com eles não podemos agir com truculência. Assim que avistarem algum problema, devem acionar a PM ou a GM. Com relação à Guarda Municipal, alguns agentes ficarão no local. Vamos dividir em períodos e acertar os horários, mas estamos dependendo de uma resposta da Polícia Militar para disponibilizar também um policial armado”, explica o subsecretário de Administração, Hélio Júnior, ressaltando que serão intensificadas as rondas no entorno da rodoviária, tanto pela PM quanto pela Guarda.
O comandante da Guarda Municipal, Wesley Marcelo Massako, também se posicionou sobre essa situação, afirmando que no momento não é possível deixar agentes disponíveis o dia todo para fazer a segurança na rodoviária. Segundo ele, é possível tentar manter uma viatura em pontos-base, isto é, ficando apenas um período no local e somente quando o veículo está disponível e sem realizar outro atendimento. “Mas o ideal é discutirmos esse assunto até chegarmos a uma solução”, finaliza.

Teresópolis, RJ, sedia encontro de unidades K9 com cães treinados

Evento acontece neste domingo (25) e reúne diversos competidores.
Atividade marca início da CIA de Operações com Cães da GM.

Do G1 Região Serrana
O 1º Encontro de Unidades K9 (treinamento específico de cães) acontece neste domingo (25) em Teresópolis, na Região Serrana do Rio. O evento é organizado pela CIA de Operações com Cães da Guarda Municipal de Teresópolis, criada a dois meses. O encontro contará com a participação de forças policiais e de guardas municipais das cidades do Rio de Janeiro, Casemiro de Abreu e de Teresópolis, além dos estados do Amapá e do Paraná.
O encontro será no Ginásio Pedrão, na Rua Tenente Luiz Meireles, nº 211, na Várzea. Haverá competição com a realização de três provas com cães treinados (detecção de entorpecentes e de explosivos e abordagem policial). A programação contará ainda com performance do Show Dog, da Guarda Municipal do Rio.
O secretário de Segurança Pública, Marcos Antonio da Luz, explica que o encontro marca o início da companhia de operações com cães. Ele ressaltou ainda a proximidade dos grandes eventos esportivos, em especial a Copa do Mundo, quando Teresópolis será a casa da Seleção Brasileira. “Vamos mostrar cães treinados que, se preciso, vão auxiliar o nosso trabalho”, frisou.
A participação de oito equipes está prevista no encontro: Batalhão de Ações Especiais com cães da PM do Rio de Janeiro; 1º Batalhão de Polícia do Exército; 5º Batalhão de Suprimento do Exército de Curitiba, no Paraná; Polícia Civil e Guarda Municipal do Amapá. As Guardas Municipais de Teresópolis, de Casemiro de Abreu e do Rio de Janeiro também vão marcar presença. Cada grupo poderá competir com até três cães. Entre as raças estão pastor alemão, pastor belga de malinois, pastor holandês e rottweiler.
tópicos:
Motorista colide em viatura da Guarda Municipal em Valinhos

No último sábado, 17, por volta das 12h, um motorista acabou colidindo de frente com uma viatura da Guarda Municipal de Valinhos.


Segundo informações, o condutor da viatura da GM parou ao visualizar o motorista, para tentar evitar a batida, porém, não obteve êxito. O motorista relatou que não era da cidade e que usava o GPS para se orientar. O equipamento tinha solicitado que fosse feita uma conversão à esquerda.


Ninguém se feriu no acidente.
Colisão foi frontal, mas não houve feridos

    Especialista quer Polícia Municipal

    Siqueira defende maior proximidade com a população / Foto: Jonny Ueda

    Uma Guarda Municipal mais próxima da comunidade e repressiva para os bandidos. Essa é a proposta do especialista em Gestão de Segurança Pública pela Universidade Braz Cubas (UBC), Claudemir de Siqueira, de 39 anos, que projetou uma série de mudanças que, se aplicadas na corporação mogiana, segundo ele, podem mudar o perfil dos agentes da
    Em entrevista a O Diário, ele garantiu que é possível dar à Guarda um status de “Polícia Municipal”. “A gente sabe que a responsabilidade pela segurança pública é do Estado. Só que o que eu proponho é que discutamos o papel da segurança urbana, essa sim pode ser desempenhada pelo Município. É trazer para discussão o motivo da Guarda não ser armada e ficar deslocada para cuidar apenas de espaços públicos”, disse.
    De acordo com ele, o processo de armamento da Guarda é fundamental. “Em outras cidades, os agentes contam com armamento. Claro que é preciso ter um treinamento especial. Se o guarda passa em frente a um banco e decide ajudar a resolver a situação pode enfrentar problemas. Os bandidos, normalmente, vêm da Capital e são acostumados com guardas metropolitanos armados. Para eles, todos os guardas são. Mas os nossos, na realidade, não são. Vai ser um bandido fortemente armado contra um pai de família desarmado. Veja o caso das armas de choque, por exemplo, que foram anunciadas pela Prefeitura. Elas são bem-vindas e podem contribuir com o serviço dos agentes, mas têm alcance limitado”, ressaltou. De acordo com ele, a melhor saída é o uso das armas.
    O especialista, que tem também formação em Segurança Municipal Urbana da Prefeitura de São Paulo, conta que a Guarda poderia ser mais desenvolvida. “Como a Guarda Metropolitana de São Paulo que possui agentes ambientais, rurais, de trânsito, além de inspetorias da Guarda Civil nos bairros e distritos, e um canil”, comentou.
    A Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), documento usado como base para as sugestões de Siqueira, coloca os chamados gcms na mesma categoria que os policiais. Os agentes municipais são considerados policiais para o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP), Justiça do Trabalho, Polícia Civil do Estado de São Paulo, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e, por fim, até mesmo para a Companhia do Metropolitano do Estado de São Paulo (Metrô/SP).
    Outra crítica de Siqueira é quanto à utilização de agentes no patrulhamento de espaços públicos do Estado. “Eles não são pagos para ficar nas guaritas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). É desumano mantê-los naquelas cabines pequenas, sem água nem alimentação. É algo fora da realidade. É quase como zombar da Guarda. É preciso colocar alguém que realmente saiba entender os agentes, alguém de carreira, que entenda seu funcionalismo desde o início”, destacou o especialista, que descartou se candidatar a algum cargo político nas próximas eleições municipais. Ele, porém, fez um pedido. “Algum vereador deveria adotar a Guarda. Ajudá-los a ter voz na Cidade. Imagine o tanto de aliados que este vereador terá”, concluiu.

    Secretário aposta em modernização da Guarda
    O secretário municipal de Segurança, coronel Eli Nepomuceno, afirma que a Prefeitura de Mogi das Cruzes trabalha para modernizar a Guarda Municipal da Cidade. Ele ressalta que até o fim deste primeiro semestre de 2014, a corporação terá um estatuto revisado que pode, inclusive, estabelecer que os agentes possam trabalhar armados.
    “A nossa preocupação sempre é que a Guarda cresça e tenha um papel importante na composição social. A Prefeitura tem avançado nas conquistas para a Guarda, como a criação da bonificação por periculosidade que pode chegar a até 30% a mais nos salários dos agentes. E o serviço dos guardas não é restrito ao monitoramento patrimonial. Eles têm papel importante no combate às invasões e ocupações irregulares, as rondas nas feiras livres e na coibição dos pancadões”, explicou Nepomuceno.
    Sobre a possibilidade de armar a Guarda, tudo vai depender de uma cláusula, que deverá ser incluída no estatuto revisto da corporação, a ser enviado para análise do prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (PSD) até o final de junho. Se o prefeito aprovar o documento, ele será repassado à Câmara Municipal. Lá é que a discussão deve ser intensa. Uma parte considerável dos vereadores rebate a possibilidade de que a corporação possa ser armada e defende mais treinamentos para os agentes.
    De acordo com o coronel, a revisão deve ser concluída já em junho. “É um trabalho que precisava ser feito para otimizar o serviço da Guarda e que pode gerar mudanças significativas para os agentes. São melhorias desenvolvidas para melhorar o serviço dos nossos guardas. Eles são valorizados e merecem destaque”, finalizou. (Lucas Meloni)

    Exonerações esvaziam Guarda Municipal

    Um terço do efetivo da corporação já pediu a conta e o não uso de armas é a reivindicação mais reclamada




    Wilson Gonçalves Júnior 
    wilson.junior@jcruzeiro.com.br

    Um terço do efetivo da Guarda Civil Municipal (GCM) de Votorantim - 10 dos 30 inspetores aprovados em concurso público - pediu exoneração da corporação devido à precariedade nas condições de trabalho e a falta de estrutura oferecida pelo poder público do município. A redução no quadro pessoal desencadeou uma espécie de sucateamento da corporação e muitas vezes existe apenas uma viatura da GCM para atender os mais de 115.585 mil habitantes de Votorantim - estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Três GCMs e um ex-GCMs (os nomes serão preservados diante da possibilidade de represálias) confirmaram estas informações ao jornal Cruzeiro do Sul e alegaram que os inspetores reivindicam a utilização de armas, da implantação do Infoseg e do aumento do efetivo.

    "Nem segurança para nós a gente tem, como é que a gente vai oferecer segurança para o munícipe." O desabafo em questão foi feito por um integrante da Guarda Civil Municipal de Votorantim (GCM), que se vê ameaçada ao sair de casa para trabalhar. Dois fatos recentes que aconteceram com integrantes da guarda fizeram ela repensar e temer por algo pior. De acordo com a inspetora, quatro guardas foram expulsos a pedradas e garrafadas por um grupo de pessoas, após aos GCMs abordarem uma indivíduo que invadiu à praça de Eventos Lecy de Campos com uma motocicleta, na terça-feira passada. No local, era realizado um evento intitulado "rolezinho" e havia consumo de drogas e álcool. Houve também, segundo ela, o caso de uma vítima baleada que foi procurar auxílio no Pronto-Atendimento de Votorantim (PA), após ter sido baleada num assalto a um posto de combustível. Os bandidos perseguiram a vítima até o PA e se depararam com os guardas, que estavam no local para atender a uma ocorrência de desentendimento entre paciente e médico. "Foi humilhante e vergonhoso e a população viu os guardas escondidos dos bandidos. A população foi cobrar da gente porque nós não enfrentamos e eles não entendem que não usamos arma. E o bandido não vê farda e não quer saber se a guarda de Votorantim não usa arma."

    Ela declarou ainda que no caso do PA os guardas não tinham como saber se a vítima baleada era bandido ou vítima, tendo em vista que a GCM não possui o serviço para identificação de procurados pela Justiça (Infoseg). "Pelo visto, eles estão esperando um guarda morrer, como poderia ter acontecido na praça, para tomar uma atitude."

    Outro guarda ouvido disse que hoje em dia os crimes (como tráfico de drogas e roubo) estão presentes nos prédios públicos, como escolas, campos de futebol e nas praças e não há como a GCM cuidar destes espaços sem se deparar com a criminalidade. Ele indicou ainda que a GCM perdeu a credibilidade perante a população e não existe mais respeito, em determinados bairros, mesmo em relação aos agentes de trânsito. "Não é só dar arma e pronto. Sabemos que é necessário todo curso de capacitação e ainda teste psicológico para uso da arma. Há ainda a parte burocrática, que é a liberação para o uso da arma para a guarda e Votorantim."

    A lei federal nº 10.826/2003 em seu artigo IV autoriza o uso de arma as guardas municipais das cidades com mais de 50 mil e menos de 500 mil habitantes - que é o caso de Votorantim - quando estão em horário de serviço. Além do que é necessário o GCM ter mais de 25 anos. A Polícia Federal diz ainda que é necessária a comprovação de capacidade técnica e de aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo, realizado em prazo não superior a um ano, que deverá ser atestado por instrutor de armamento e tiro e psicólogo credenciado pela Polícia Federal.


    A lei municipal nº 2171/2010, que criou a GCM, diz em seu primeiro artigo: "Fica criada a Guarda Civil Municipal de Votorantim GCM, uniformizada e armada."


    Outras baixas


    De acordo com outra inspetora, a corporação deve ter novas baixas em breve devido a falta de apoio e de investimento por parte do município. Ela informou que sete ou oito destes 20 profissionais que ainda estão atuando em Votorantim aguardam resultados de concursos realizados em outras guardas da região. "Eu sou uma delas e ninguém queria sair daqui. Só que infelizmente não existe investimento e a impressão que dá é que querem acabar com a guarda. Sequer abriram concurso, já que o outro venceu. É triste, porque não estamos pedindo aumento de salário e queremos apenas melhores condições de trabalho para atender à população", destacou.

    Ela informou que muitas vezes, devido ao número reduzido de guardas, existe apenas uma viatura para atender toda a cidade e que a Ronda de Bike - guardas que faziam patrulhamento pela região central da cidade - já foi desativada.


    "Sai em busca de estrutura melhor"


    Um dos inspetores que deixou Votorantim disse que saiu da GCM do município em busca de uma estrutura melhor de trabalho na área de segurança. Ele disse que a guarda de Votorantim não tem estrutura nenhuma, sem arma e até colete a prova de balas. "Eles nos mandavam para favelas do Jardim Novo Mundo e Jardim Tatiana e não davam estrutura. Isso é complicado demais."

    O ex-guarda explicou que vai ganhar um pouco mais do que recebia em Votorantim, além do que terá que viajar para trabalhar. Mas alegou que a motivação principal de sua saída foi mesmo a falta de estrutura para trabalhar. "Lá não tem condição de trabalho e as pessoas jogam pedra e chutam a viatura. Fui em busca de melhores condições de trabalho mesmo", criticou.


    Prefeitura de Votorantim


    Por meio de nota, a Secretaria de Mobilidade Urbana e Guarda Patrimonial (Semu) informou que o primeiro concurso foi feito para a habilitação de 30 GCMs e que a lei 2171/2010 prevê um efetivo de 90. Entretanto, não informou quando vai realizar novo concurso, tendo em vista que o anterior está com o prazo vencido.

    A Semu rebateu as informações dos GCMs e afirma que os episódios citados são atípicos e que ocorreriam mesmo se os guardas estivessem armados. "Foram ocasionais e normalmente não acontecem e não se repetem; o fato de estarem armados ou não, não impediria que os fatos citados ocorressem."

    Ainda na nota, a Semu alegou que em julho do ano passado foram adquiridos 31 coletes a prova de balas e que os equipamentos estão sendo utilizados pelo efetivo. A secretaria informou também que foram compradas ainda motocicletas novas e rádios HTs, como também cinco veículos que serão utilizados como viaturas da GCM.

    A prefeitura citou ainda que o Infocrim, Prodesp e outros órgãos são necessários ao bom desempenho do serviço de segurança e estão sendo providenciados. A nota disse que o credenciamento nestes órgãos é extremamente demorado e que isto ocorre devido o sigilo das informações prestadas. Sem responder claramente, a prefeitura deu entender que não vai armar a GCM.


    Notícia publicada na edição de 27/05/14 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 004 do caderno A - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

    Vereador Tadeu Vieira quer realização de blitz onde existem rotatórias!

    Fonte: Assessoria CMC em 25 de Maio de 2014
    O vereador Tadeu Vieira da bancada do PDT apresentou requerimento na Câmara Municipal de Corumbá no início desta semana, solicitando que seja enviado expediente ao Senhor Prefeito Municipal, ao Comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar em Corumbá, ao comandante da Guarda Municipal e a Diretora da Agetrat, solicitando providências com urgência no sentido de viabilizar Blitz Educativas nas ruas de Corumbá onde existem rotatórias.
    Requereu que seja enviado expediente ao Senhor Prefeito Municipal de Corumbá, ao secretário de Governo e ao Secretário de Infraestrutura, solicitando estudos e viabilidade para abertura da Rua Paraná entre as ruas Geraldino Martins de Barros e Ladário no bairro Cristo Redentor.
    Por fim, Tadeu Vieira ainda apresentou requerimento para que seja enviado expediente ao Senhor Prefeito Municipal de Corumbá, ao secretário de Governo e ao Secretário de Infraestrutura, solicitando providências no sentido de viabilizarem a pavimentação asfáltica ou lajotamento da rua General Dutra entre as ruas Aquidauana e Avenida Nossa Senhora da Candelária no Bairro Maria Leite.

    Mais em Política

    prefeitura de goiania


    SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!