Cadastre seu Email

sábado, 14 de novembro de 2009

Goiania-GO-GUARDAS MUNICIPAIS DETÊM ASSALTANTE QUE ATUAVA NO PARQUE BOTAFOGO

Na manhã desta última quinta-feira, guardas municipais do Grupo de Proteção ao Cidadão – GPC da Agência da Guarda Municipal de Goiânia (AGMGO) detiveram um homem acusado de realizar assaltos no Parque Botafogo. A equipe da Guarda foi acionada enquanto fazia o patrulhamento de rotina no Bosque. Freqüentadores do parque informaram sobre a ocorrência de um assalto contra uma senhora. Os guardas levantaram as características do suspeito e realizaram uma varredura por toda a área. Com a ajuda de populares o homem foi localizado e conduzido ao 1 º Distrito Policial. Com o suspeito foram encontrados os pertences da vitima que reconheceu o assaltante. Participaram da ação os GMs, Flavio Cardoso, Matos, Moyses e Layon. Alerta O presidente Comandante da AGMGO, coronel Gercy Joaquim Camêlo, faz inclusive, um alerta à população para o aumento desse tipo de crime nessa época do ano. “Com a chegada do final de ano vem o pagamento do 13º salário e os bandidos sabem disso, portanto, eles atacam principalmente mulheres e idosos, visando roubar pequenas quantias em dinheiro ou itens valiosos como celulares e jóias.” Coronel Camelo lembra, porém, que para coibir este tipo de crime a Guarda estará intensificando a segurança nos parques e praças da cidade

Pais exigem guardas na escola

A comunidade do Vale Dourado se reuniu na escola municipal Waldson Pinheiro para exigir do poder público providências contra a violência no bairro. Entre os principais pedidos está a volta da Guarda Municipal permanente na escola, que sofreu uma tentativa de invasão por três adolescentes armados na última terça-feira. A reunião, realizada na escola, contou com a participação de mais de 250 pais de alunos, a direção do Waldson Pinheiro, representantes da Polícia Militar e Conselho Comunitário.A Secretaria Municipal de Educação, convidada pela direção da Escola, não enviou nenhum representante ao encontro. Enquanto a questão da Guarda Municipal não é resolvida, a Polícia Militar irá fazer duas paradas provisórias no local, uma no horário de entrada dos alunos e outra no horário da saída. Além disso, a direção conseguiu novos vigilantes para a Escola, tendo em vista que o último pediu transferência após ser ameaçado de morte pelos mesmos adolescentes que tentaram invadir o Waldson Pinheiro.Na manhã de ontem, a direção recebeu a visita de cinco pais e mães preocupados, que pediram a transferência dos filhos. “Repercutiu muito mal e eu já imagino que se nada for feito o número de matrículas do próximo ano será bem menor”, afirma o diretor João Bosco da Silva. E complementa: “Eu consegui convencer os pais a não tirarem os seus filhos, mas a comunidade precisa se mobilizar para impedir novos atos de violência”.Uma das mães preocupadas com a confusão na Escola Waldson Pinheiro é Andréia Patrícia da Silva, de 44 anos, que há 12 anos mora no Vale Dourado. “Saí de casa pensando em tirar meus dois filhos da escola no próximo ano, porque não dá pra você mandar o seu filho para a escola sem saber se ele vai voltar”, explica Andréia. “Todos os pais aqui estão muito preocupados com essa situação do colégio e é preciso que a Prefeitura tome uma atitude o mais rápido possível”, acrescenta.A reunião contou também com palestras da Polícia Militar sobre como os pais devem se portar diante do quadro de violência no Vale Dourado. “Os pais não podem deixar a educação apenas com a escola. É preciso participar mais, observar as amizades, controlar o que o filho faz”, diz o major Lenildo de Sena, que representou a PM no encontro. O major afirma que a participação dos pais se faz mais necessária pela situação do bairro de Nossa Senhora da Apresentação, onde o conjunto Vale Dourado está localizado. “O tráfico de drogas é muito forte e tenta atrair os adolescentes e crianças do bairro”, analisa. Hoje, o bairro de Nossa Senhora da Apresentação, junto de Pajuçara, tem o maior índice de homicídios da capital e, de acordo com o major, a maioria deles está ligada a cobrança de dívidas de drogas.Promotor da EducaçãoO promotor da Educação, Raimundo Silvio, acredita que o problema da violência precisa ser combatido a partir de uma atuação integrada das instituições com a sociedade. O caso do Vale Dourado não se encaixa, de acordo com o promotor como violência na escola. “Tem sido muito comum casos de violência que não são da escola, mas que afetam o ambiente escolar. Nesse caso, era um problema gestado fora da escola”, diz Raimundo Silvio.Quanto à presença da Guarda Municipal, o promotor afirma que ela é indicada apenas em casos mais críticos. “Não podemos entrar numa neurose e achar que em toda escola é preciso a presença da polícia”, aponta. Raimundo Silvio afirmou desconhecer qualquer estudo sistemático sobre as escolas localizadas em áreas de risco, mas que seria uma importante contribuição. “Qualquer ferramenta que propicie um melhor conhecimento da realidade ajuda no planejamento”

Guarda Municipal de São Gonçalo ganha uniforme

Pela primeira vez, os guardas municipais de São Gonçalo ganharam um uniforme de verão. O novo modelo, que mantêm a calça comprida, é formado por blusa pólo na cor bege e está sendo utilizado desde a última segunda-feira. Até o final do verão, os guardas devem trabalhar com o uniforme.De acordo com o secretário de segurança pública da cidade, Paulo Storani Botelho, o lançamento do uniforme foi antecipado devido ao calor feito nos últimos dias. Paulo ainda acrescenta que a calça foi mantida para proteger os guardas.“A pele desprotegida absorve mais o calor que vem do asfalto”, declarou.

PM, guarda municipal e até atirador

A julgar pelo aparato de segurança montado para a atuação das equipes no Maciço do Morro da Cruz, ficou claro que a reação da população não foi surpresa. As seis pessoas que trabalharam nas demolições estavam acompanhadas de dois fiscais ambientais, sete integrantes da Guarda Municipal e quatro policiais militares.Pelo menos quatro viaturas estavam estacionadas em uma rua próxima, durante a demolição da primeira casa. Os policiais que chegavam estavam armados com calibres diversos e com uma arma de choque. Na hora de sair da comunidade, um helicóptero com atirador de elite sobrevoou a área.A movimentação incomodou a comunidade. Diversas pessoas começaram a se aglomerar em volta dos trabalhadores. Conforme o tempo passava e quanto mais tenso o clima ficava, mais policiais militares eram chamados.– Nossa, precisava tudo isso para derrubar a casa de duas mulheres? – questionou uma moradora.Uma comissão de moradores foi montada nos últimos dias com o objetivo de intervir nas ações da prefeitura na área. O vice-presidente da associação de moradores, Carlos Raimundo dos Santos, disse que o grupo quer agendar uma reunião com o prefeito.– É revoltante o que tem acontecido. Se as casas têm de ser demolidas, os moradores precisam, pelo menos, ser avisados com antecedência. Mesmo sendo uma ação administrativa, eles deveriam advertir antes para demolir depois – defende.NúmeroEm duas semanas moradores da Capital poderão ligar para o número 161 para fazer denúncias de casas construídas de forma irregular

Prefeitura de Londrina abre concurso para guarda municipal

A Prefeitura de Londrina abriu inscrições para o preenchimento de 200 vagas para agentes da guarda municipal, com nível médio. O salário é de R$ 1.046,50 (R$ 805 de salário base mais R$ 241,50 de adicional de risco de vida), mais R$ 205,80 de auxílio alimentação.As inscrições devem ser feitas no site www.iprocade.org.br/Concursos até o dia 23 de novembro. A taxa é de R$ 50,00.

Rapaz ameaça matar Guarda e é preso em corumbá.

A Polícia deteve na noite de ontem Steferson Galvão Soares, de 25 anos, acusado de ameaçar o guarda municipal Carlos Roberto Siqueira Neto, 45 anos. Segundo boletim de ocorrência registrado no 1º Distrito Policial, Carlos chegou em casa ontem, na rua Cabral, por volta das 18h e ao cumprimentar um vizinho, passou a ser agredido verbalmente por Steferson, que estava com uma faca na cintura. Descontrolado, o rapaz gritava: "eu vou matar você seu guardinha de merda". O motivo da ameaça não foi informado

Gravação mostra atrito entre PM e Guarda Municipal em Florianópolis

.....Um diálogo do comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar (PM) em Florianópolis, tenente-coronel Newton Ramlow, e um policial do Centro de Operações Policiais da PM (Copom) coloca em dúvida o atendimento de ocorrências por policiais militares em área nobre de Florianópolis: a rua Bocaiúva. O Diário Catarinense teve acesso a uma conversa que teria sido gravada pelo rádio de uma viatura, não se sabe se da PM ou da Guarda Municipal. No diálogo, o tenente-coronel determina que solicitações ao Copom na região da Bocaiúva e do Beiramar Shopping devem ser repassadas à Guarda. Segundo o comandante, a região é de responsabilidade da Guarda Municipal em razão de um sistema de videomonitoramento instalado pelo órgão e a iniciativa privada. Newton diz ao policial que, em caso de solicitação ao Copom, ele deve dar o telefone da Guarda. Ao responder à ordem do comandante, o policial do Copom, que não é identificado na conversa, diz que desconhecia o monitoramento na área pela Guarda. O coronel então fala da existência de uma Associação da Bocaiúva e da inauguração de câmeras pelo shopping sem o convite à Polícia Militar. Clientes ameaçam entrar com processo A solicitação, segundo dá a entender o policial do Copom, seria de atendimento de ocorrência de trânsito. Na conversa, que tem menos de três minutos, o policial revela que há indignação no shopping por causa de bagunça no trânsito e que os clientes ameaçavam entrar com processo. O comandante diz que a situação é mesmo uma vergonha e que eles deveriam processar.
Guarda diz que número de ocorrências triplicou O diretor-geral da Guarda Municipal de Florianópolis, Julio Pereira Machado, disse nesta quarta que não poderia falar sobre esse assunto por envolver outra instituição (a PM). Mas ele comentou que o número de ocorrências na região da Rua Bocaiúva triplicou nos últimos seis meses, desde atendimento de trânsito a brigas de casais. Por meio da assessoria de imprensa, o Beiramar Shopping informou que o atendimento pela PM está normal no estabelecimento quando há solicitações. O empresário que estaria à frente da Associação da Bocaiúva, na época, está em viagem e não foi encontrado, assim como o atual representante.
Guarda diz que número de ocorrências triplicou
O diretor-geral da Guarda Municipal de Florianópolis, Julio Pereira Machado, disse nesta quarta que não poderia falar sobre esse assunto por envolver outra instituição (a PM). Mas ele comentou que o número de ocorrências na região da Rua Bocaiúva triplicou nos últimos seis meses, desde atendimento de trânsito a brigas de casais. Por meio da assessoria de imprensa, o Beiramar Shopping informou que o atendimento pela PM está normal no estabelecimento quando há solicitações. O empresário que estaria à frente da Associação da Bocaiúva, na época, está em viagem e não foi encontrado, assim como o atual representante.
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!