Cadastre seu Email

segunda-feira, 8 de julho de 2013

gm do rio

Polícia Federal será o anjo da guarda do Papa no Rio
Por céu e terra, agentes garantirão que espontaneidade não traga riscos a Francisco

No caminho do Papa Franscico, há uma sombra. Na verdade, quatro, que vão se revezar 24 horas na semana em que ele estará no Brasil. São policiais federais, altamente treinados, e que vão manter os olhos em cada movimento, gesto e aproximação do Bispo de Roma com o público.

Ser o espelho vivo do maior líder católico do mundo, no entanto, não reflete a calmaria que se induz a imaginar. Francisco é o Santo Padre que pega sacolas no chão da fiel que se estica para abraçá-lo, e que pede para descer do carro para beijar a multidão que o cerca. Para garantir que atitudes assim não fujam do controle, até helicóperos vão acompanhar a agenda.

Com status de Chefe de Estado, o Pontífice garantirá não só sua segurança pessoal feita pela Polícia Federal, com a do seu próprio staff: a Gendarmaria do Estado da Cidade do Vaticano e da Guarda Suíça, que viaja na comitiva papal. O esquema será tão rígido como o do presidente dos EUA, Barack Obama, em visita ao Rio, em 2011. Por aqui, a regra básica tem que ser seguida à risca: nada de tietagem nem de invasão de privacidade. Pedidos de fotos são proibidos e podem render um processo disciplinar na Corregedoria da Federal.

Tanto rigor é para preservar a intimidade a Papa. Nos jardins da mansão do Sumaré, onde Sua Santidade vai ficar hospedada, estarão 50 agentes federais. No total, 200 deles devem passar pela segurança no local durante a Jornada Mundial da Juventude. Mas nenhum terá acesso às dependências da casa e, muito menos, ao quarto do Santo Padre.

“A gente sabe que há muitas chances de o Papa quebrar protoloco. Mas o nosso trabalho é resultado da integração com as Forças Armadas, as polícias Civil, Militar e com a Guarda Municipal, além de outros setores, como a Cet-Rio. Estamos alinhados, trocando informações e atuando sempre em conjunto”, garantiu o delegado federal Anderson Bichara, da Coordenadoria Regional de Grandes Eventos da PF-RJ.

Do dia 22, quando o Pontífice chega, até o dia 28, na sua partida, cada pedaço de chão por onde Francisco for passar será rastreado antes. O espaço que vai demandar mais tempo de vistoria é o Campus Fidei, em Guaratiba, onde vai ocorrer a vigília e missa de encerramento. Serão quatro horas para percorrer todo o terreno em busca de explosivos. A tarefa será feita numa parceria com o Exército e a Polícia Civil.

Para que a maior quantidade possível de pessoas vejam o Santo Padre, em Guaratiba, o papamóvel deve passar em ziguezague no Campus. Aliás, a missão de conduzir o carro blindado ainda não tem dono. Mas a PF já tem 10 agentes treinados no Vaticano para caso precise assumir a nobre função.


Aeronaves dão informações

Se no chão a quebra de protocolo é um adendo à adrenalina da escolta, no céu a visão privilegiada é um trunfo para os policiais federais. Dois Caçadores — helicópteros da instituição — com atiradores de elite estarão seguindo os passos de Francisco por onde ele passar.

A vigilância tem um apoio importante: o Centro Integrado de Comando e Controle, o quartel-general das forças de segurança. Será de lá que virão informações como desvio de rota, em caso de manifestações. Toda comunicação entres os agentes na rua será feita por radio criptografado. Treze antenas foram instaladas pelos locais por onde o Papa vai passar.


Um agente a cada 10 m do Pontífice

A cada dez metros do Papa haverá um agente de segurança, que poderá ser do Exército, das polícias Civil, Militar e Federal ou da Guarda Municipal. Isso significa que se ele percorresse em linha reta ininterrupta os 19.480 quilômetros previstos no Papamóvel — cálculo feito sem considerar o Riocentro, onde ele visitará voluntários da JMJ — , seria como se 2 mil homens ficassem numa fila para escoltá-lo.

Por mar, mais trabalho. Em parceria com a Marinha, a PF vai fiscalizar a Baía de Guanabara durante todo o evento. Só de agentes federais, serão 72. Eles estarão em lanchas, jet ski e botes.

Prefeitura inicia ronda escolar na Zona Sul a partir desta terça

 Prefeitura inicia ronda escolar na Zona Sul a partir desta terça
A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria deSegurança Urbana e Cidadania (Semusb), inicia nesta terça-feira (9) a ronda escolar em diversos bairros da Capital. Serão três viaturas com um total de 12 guardas municipais que ficarão responsáveis pela ronda. As escolas localizadas nos bairros da Zona Sul de João Pessoa serão as primeiras a receberem a ronda.


O secretário da Semusb, Geraldo Amorim, explica que 12 guardas municipais foram capacitados para dar início aos trabalhos da ronda. “Esse é um primeiro momento, ou seja, um projeto piloto, porque nossa intenção é expandir essa ronda para todas as escolas da cidade. Já estamos preparando e capacitando outros guardas municipais para darmos prosseguimento à ronda”, destacou.


As primeiras escolas que receberão a ronda solicitaram à PMJP a presença do efetivo da guarda. Diariamente, diversos pontos da Capital serão monitorados. Neste primeiro momento, 12 escolas da Zona Sul de João Pessoa serão monitoradas pela PMJP como forma de prevenção à criminalidade.


Geraldo Amorim também destaca que a ronda escolar vai além da presença do efetivo da guarda municipal nas redondezas da escola. “Queremos interagir com a comunidade, com os moradores, diretores de escolas e comerciantes que ficam no entorno das unidades. Vamos cadastrar os ambulantes nas proximidades para prevenir qualquer tipo de incidente que atrapalhe o cotidiano dos estudantes”, afirmou.

João Pessoa

Prefeitura de João Pessoa inicia ronda escolar na Zona Sul a partir desta terça

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), inicia nesta terça-feira (9) a ronda escolar em diversos bairros da Capital. Serão três viaturas com um total de 12 guardas municipais que ficarão responsáveis pela ronda. As escolas localizadas nos bairros da Zona Sul de João Pessoa serão as primeiras a receberem a ronda.

O secretário da Semusb, Geraldo Amorim, explica que 12 guardas municipais foram capacitados para dar início aos trabalhos da ronda. “Esse é um primeiro momento, ou seja, um projeto piloto, porque nossa intenção é expandir essa ronda para todas as escolas da cidade. Já estamos preparando e capacitando outros guardas municipais para darmos prosseguimento à ronda”, destacou.

As primeiras escolas que receberão a ronda solicitaram à PMJP a presença do efetivo da guarda. Diariamente, diversos pontos da Capital serão monitorados. Neste primeiro momento, 12 escolas da Zona Sul de João Pessoa serão monitoradas pela PMJP como forma de prevenção à criminalidade.

Geraldo Amorim também destaca que a ronda escolar vai além da presença do efetivo da guarda municipal nas redondezas da escola. “Queremos interagir com a comunidade, com os moradores, diretores de escolas e comerciantes que ficam no entorno das unidades. Vamos cadastrar os ambulantes nas proximidades para prevenir qualquer tipo de incidente que atrapalhe o cotidiano dos estudantes”, afirmou. 
Secom JP 

Cortejo Funebre do Guarda Civil Metropolitano de Goiânia Cleberson Ribei...

SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!