Cadastre seu Email

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Guarda Municipal de São José vai trabalhar armada a partir de março Efetivo cumpriu horas de prática de tiro estabelecidas pelo Minis [...] Veja mais em: http://www.ndonline.com.br/florianopolis/noticias/298403-guarda-municipal-de-sao-jose-vai-trabalhar-armada.html.

São Pedro, RJ, inicia curso para formar novos guardas municipais

Ao todo, 50 aspirantes aprovados nas provas estão participando.
Aulas serão ministradas de segunda-feira a sábado no CAT.

Do G1 Região dos Lagos
São Pedro da Aldeia inicia curso para formar novos guardas municipais (Foto: Jefferson Viana/Ascom São Pedro da Aldeia)São Pedro da Aldeia inicia curso para formar novos
guardas municipais (Foto: Jefferson Viana/Ascom
São Pedro da Aldeia)
São Pedro da Aldeia, Região dos Lagos do Rio, em parceria com uma empresa de treinamentos táticos, iniciou na segunda-feira (25) o curso de formação de guarda municipal para os candidatos aprovados em Concurso Público de 2014. As aulas serão ministradas de segunda-feira a sábado no Centro de Atendimento ao Trabalho (CAT), das 8h às 19h.
O processo de capacitação vai até o dia 14 de março e reúne 50 aspirantes aprovados nas provas objetiva e de aptidão física. A atividade possui caráter eliminatório e os 40 primeiros concursados que obtiverem classificação no curso de formação serão convocados para os procedimentos de posse. Os demais classificados constituirão em cadastro de reserva para eventual convocação.
O secretário de Administração, Antônio Carlos Teixeira Barreto, falou sobre o andamento da convocação dos Guardas Municipais. "Os candidatos passaram por três etapas, todas eliminatórias. Na primeira fase foram as provas objetivas do concurso, seguida dos exames de aptidão física. O curso de formação caracteriza a terceira fase, necessária para a homologação do cargo. Quem não fizer esse curso estará automaticamente desclassificado. O processo é árduo, mas estamos concluindo mais uma etapa do concurso", disse.
O curso de formação da Guarda Municipal segue a matriz curricular da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Ética, primeiros socorros, combate a incêndio, relacionamento com o público e a operacionalidade da Guarda Municipal são alguns dos temas que serão discutidos na qualificação. Para auxiliar o processo de capacitação, os participantes receberam apostila.
Ao final da capacitação, os participantes deverão ter aproveitamento mínimo de 50% da avaliação objetiva e frequência mínima de 90%. O candidato reprovado no curso será eliminado, seguindo o item 12.13 do Edital do Concurso.
"Após o advento da Lei 13.022, tornou-se obrigatória a formação dos civis que são aprovados em concurso de Guarda Municipal serem treinados por meio desse curso de formação. Nós temos um conteúdo extenso para trabalhar nesses 40 dias, dividido em diversas disciplinas e dentro da grade da Senasp", afirmou um dos instrutores do processo de capacitação e diretor executivo da empresa que está promovendo o curso.

Após denúncia de repórter agredido, Guarda Municipal do RJ pune agentes

Redação Portal IMPRENSA 16/02/2016 09:00
Após a denúncia do jornalista Bernardo Tabak, do jornal carioca O Globo, sobre a agressão de guardas municipais durante o desfile de um bloco na zona portuária do Rio de Janeiro (RJ), a Guarda Municipal retirou das ruas e realocou em serviços administrativos os 15 agentes que participaram da ação.

Crédito:Reprodução/Facebook
Jornalista divulgou imagens das marcas da agressão policial
De acordo com O Globo, todos eles são investigados em sindicância interna, que deve ser finalizada em 30 dias. Os agentes podem ser expulsos. O chefe do efetivo que atuava no local foi exonerado do cargo.

O Ministério Público estadual também pode abrir uma investigação. O coordenador de Direitos Humanos do MP, Márcio Mothé, solicitou ao Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania que avalie o caso. 

Além disso, a Defensoria Pública analisa medidas judiciais contra a Guarda Municipal. O coordenador do Núcleo de Direitos Humanos do órgão, Fábio Amado, informou que uma ação coletiva pode ser protocolada para que o órgão não atue mais de modo hostil.

O caso

A agressão contra Tabak ocorreu na madrugada do último sábado (13/2), quando integrantes do Technobloco, concentrados na Praça Mauá, relataram ter sido agredidos por guardas com golpes de cassetetes. A GM alegou que um grupo depredava o patrimônio público local. 

O repórter apanhou, foi algemado e levado à delegacia porque filmava com seu celular a agressão gratuita praticada pelos agentes da guarda municipal. Ele denunciou a agressão em sua página no Facebook.

“Não presenciei o começo do tumulto. Estava no meio da praça. Mas vi de longe uns guardas batendo em gente gratuitamente, indiscriminadamente, que tentavam simplesmente se desvencilhar da confusão. Afirmo: não vi qualquer depredação durante todo o desfile, não vi pichações e não vi ninguém lançando garrafas contra a GM-Rio (nem em nenhum dos vários vídeos que já assisti até agora). Revoltado, recorri ao melhor instrumento de denúncia que aprendi a usar nestes 15 anos como jornalista: informação e divulgação. Foi demais para eles”, contou.

Em nota, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) repudiou a violência da Guarda Municipal do Rio de Janeiro contra o jornalista. A entidade destacou que considera extremamente preocupantes os constantes atos hostis que tentam impedir a livre e necessária atuação da imprensa.

"Gravar a ação de agentes públicos é direito tanto de jornalistas, quanto dos cidadãos. A Abert pede às autoridades competentes do Rio de Janeiro a apuração rigorosa dos fatos, além da punição dos responsáveis", completou.

Guardas municipais bloqueiam terminal da Parangaba, em Fortaleza

Categoria exige mais pistolas taser, arma de choque usada em operações. 
Prefeitura de Fortaleza disse que novas armas vão chegar até junho.


Guardas municipais bloqueiam terminal da Parangaba, em Fortaleza (Foto: Reprodução/ TV Verdes Mares)
Guardas municipais bloqueiam terminal da Parangaba, em Fortaleza (Foto: Reprodução/ TV Verdes Mares)
Um protesto de agentes da Guarda Municipal de Fortaleza bloqueia na manhã desta quarta-feira (17) a entrada do terminal da Parangaba, em Fortaleza. De acordo com a Guarda Municipal, cerca de 50 agentes fecham uma das entradas do terminal.
Ainda segundo a Guarda Municipal, a categoria pede para a Prefeitura de Fortaleza mais pistolas taser - arma de choque que já é utilizada pelo órgão para imobilizar.

A Guarda Municipal informou também que já encaminhou o pedido para a prefeitura que informou que 266 novas armas taser devem chegar nos meses de março e junho.
 A categoria diz que o taser está em falta e que  alguns agentes estão nas ruas desarmados, motivo de preocupação pela insegurança desses trabalhadores.

A Guarda Municipal disse que o taser foi utilizado em apenas 20 ocasiões em 2015. As armas são usadas em tumultos de grandes eventos e têm o objetivo de controlar e evitar confusões.
Existente desde 1959, a guarda foi criada para zelar pelo patrimônio público, mas agora a categoria argumenta que também faz a segurança de lugares visados por criminosos.

19/02/2016 21h22 - Atualizado em 19/02/2016 21h22

Guardas municipais recebem porte para usar armas de fogo em Boa Vista

Guardas farão testes psicológicos para aprovação definitiva do benefício.
O prazo de validade para o porte de armas terá duração de cinco anos.


 Os integrantes da Guarda Civil Municipal de Boa Vista (GCM) vão poder usar armas fogo, conforme um convênio firmado entre a Polícia Federal (PF) e a Prefeitura assinado na última semana. O próximo passo para a aprovação definitiva do benefício são os testes psicológicos.
Atualmente os guardas trabalham com equipamentos como cassetetes, spray de pimenta e colete a prova de balas. A capital conta com 327 guardas civis municipais.
Na avaliação do subinspetor Câmara Silva, a decisão é uma forma de reforçar a segurança pública e combater a criminalidade na capital roraimense.
"Essa situação do armamento traz uma segurança muito grande em relação ao nosso trabalho. Primeiro para você agir e dar segurança para a população é preciso ter a segurança de fazer um trabalho que não venha ceifar a vida nossos colegas", disse.

"Esse advento da utilização da arma de fogo vai contribuir muito para a segurança deles e da comunidade", declarou.
O secretário de Segurança Urbana e Trânsito, Raimundo Barros, também destacou que objetivo é proporcionar à Guarda Municipal o uso da arma de fogo durante o seu trabalho e até fora dele diante as situações de risco.
O próximo passo será a elaboração de um plano de metas a ser apresentado à Polícia Federal, que inclui a avaliação física e psicológica dos guardas civis para o porte de arma. O 
processo será acompanhado de forma rígida pela Polícia Federal.
Os guardas civis aprovados nos exames psicológicas e físicos terão carteira de identidade funcional identificando o porte de armas. O prazo de validade para o porte terá duração de cinco anos.
18/02/2016 - 14:25

Teresina precisa de 1.689 guardas, mas Firmino só chama 50

Classificados criticaram a decisão e destacaram altos índices de criminalidade
Autor: Manoel José
TERESINA - Um grupo de classificados do último concurso para Guarda Municipal realizado em Teresina participou na manhã desta quinta-feira (18/02), de uma audiência pública na Câmara Municipal onde reivindicaram a abertura de mais vagas e melhores salários.
De acordo com Carlos Tenório, um dos líderes do movimento, a Prefeitura Municipal de Teresina disponibilizou apenas 50 vagas, número considerado insuficiente pelos classificados.
Audiência pública foi realizada na manhã de hoje Foto: Gabriel Torres/CT
“Estamos reivindicando mais vagas, pois foram disponibilizadas pouquíssimas. A conta deveria ser feita de acordo com a população. Hoje temos quase um milhão de habitantes e pela Lei dos 2% deveremos ter pelo menos 1.689 guardas municipais. 50 guardas não dar nem para a sede, para o comando da Guarda ou para um bairro, por exemplo”, criticou Carlos Tenório.
Mesmo com o concurso já realizado e as regras determinadas em um edital, os concursados alegam que irão buscar mecanismos que façam com que mais vagas sejam ofertadas. Segundo eles, existem empresas privadas arrecadando recursos da Prefeitura e realizando o serviço que deveria ser feito pela Guarda Municipal.
“Os cargos públicos são pleiteados pelos concursados, mas são as empresas privadas que ocupam essas vagas e ficam com esses recursos”, completou.
Carlos Tenório Foto: Gabriel Torres/CT
O concurso realizado no final do ano passado classificou 1.888 pessoas, mas somente 50 foram convocados pela PMT. “Agora está na fase do curso de formação. Deve chamar mais 150 classificados, mas o número ainda é totalmente insuficiente”, finalizou.
O vereador Dudu (PT), um dos líderes da oposição na Câmara Municipal criticou veementemente a decisão do prefeito Firmino Filho (PSDB) em convocar apenas os 50 classificados. O parlamentar lembrou que a PMT disponibiliza recursos na ordem de R$ 300 mil ao mês para servidores que atuam na área de segurança nos prédios públicos da Educação e Saúde, exemplo.
“Quantidade é insuficiente. Querem somente 50, parte desse efetivo ficará somente na parte burocrática da Guarda Municipal. Somente uns 15 ficarão na rua, no cotidiano. Existem convênios com a Educação e Saúde que pagam horas para agentes ativos e reservas. São cerca de R$ 300 mil ao mês, dinheiro que poderia ser levado para a Guarda Municipal”, disse o vereador.
Vereador Dudu (PT) Foto: Gabriel Torres/CT
O petista lembrou ainda a sensação de insegurança pela qual passa a Capital e disse que anualmente o prefeito Firmino Filho gasta mais de R$ 6 milhões com terceirizados. “Queremos sensibilizar o prefeito, para que convoque pelo menos 500 guardas. De que adianta termos praças bonitas, um Parque Lagoas do Norte, se as pessoas não podem andar devido a insegurança?”, criticou Dudu.
Já o líder do prefeito na Casa, o vereador José Ferreira (PSD), rebateu afirmando o petista afirmando que se trata de uma inovação implantada pela prefeitura. Ferreira destacou que a prefeitura já realizou a primeira parte do processo burocrático e que logo esses guardas estarão nas ruas. A intenção do prefeito, segundo ele, e de aumentar esse efetivo até o final do ano.
Vereador José Ferreira (PSD) Foto: Gabriel Torres/CT
“Era um projeto para 2017, mas que o prefeito sensibilizado resolveu adiantar para 2015. Não temos essas experiência em Teresina, é algo novo. Acredito que em até dois meses já teremos esses guardas nas ruas de Teresina”, concluiu o vereador.
De acordo com o com coordenador do Grupo de Trabalho de Formação da Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social, Samuel Silveira, o salário será de R$ 1.100 e os guardas trabalharão em regimes de 12h por 36h.  A baixa remuneração também é questionada pelos classificados. 
https://www.facebook.com/GuardaCivilMetropolitana/videos/851367661642535/

SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!