Cadastre seu Email

domingo, 28 de fevereiro de 2010

MS-Defesa civil e Guarda Municipal pedem para população não visitar áreas destruídas

A Guarda Municipal e a Defesa Civil estão pedindo para que as pessoas não visitem as áreas destruídas pela chuva por causa dos riscos de desmoronamento.

Um dos locais mais visitados pela população é a avenida Ricardo Brandão que teve três quadras destruídas, desde o pontilhão da Avenida Ceará até a rua Lavinda Ferreira. Na avenida, diversos curiosos param seus carros para ver a destruição causada pela enxurrada de ontem e a falta de infra-estrutura da cidade para conter isso.

Segundo um guarda municipal, que não quis ser identificado, é muito perigoso que a população fique próximas aos locais que foram destruídos, já que alguém pode ficar ferido.

Reginaldo Coelho
Como exemplo do perigo, ele destaca a obra do pontilhão da avenida Ceará que, segundo o guarda, estão com as lajes comprometidas pingando água e correm o risco de desabar.

PR-Impasse sobre reajuste de guardas continua

Guardas dizem que trabalham 50 horas por semana

A Prefeitura de Curitiba e os guardas municipais não chegaram a um acordo sobre o reajuste salarial da categoria e a greve continua. Os dois lados trocam acusações. A Prefeitura alega que a remuneração mínima de um guarda éde R$ 1.066,32 e a categoria rebate, informando que os guardas são obrigados a trabalhar 50 horas semanais, em função das horas extras obrigatórias. Segundo a Prefeiturade Curitiba, a remuneração de um guarda municipal em Curitiba é composta pelo salário base, de R$ 710,88, e uma gratificação de segurança de 50%, que incide sobre o salário e sobre horas extras trabalhadas. Ou seja, mesmo que não fizesse hora extra, o salário base do guarda municipal seria de R$ 1.066, 32, contando com a gratificação, paga mensalmente a todos os guardas. Além disso, somando-se os benefícios e horas extras, mesmo um guarda recém-contratado recebe em torno de R$ 2.100 por mês, já que praticamente todos os guardas fazem hora extra. Na folha de fevereiro, paga nesta sexta-feira (26), a média de salário da Guarda Municipal foi de R$ 2.396,76. O valor de uma hora extra paga pela Prefeitura é a hora normal e mais 50% sobre ela. Os guardas fazem hora extra por conta da escala de trabalho em turnos e da demanda de serviços em novas escolas, creches e unidade de saúde e outros equipamentos. A média de hora extra na Guarda Municipal de Curitiba é de 90 horas extras por mês para cada guarda. Dos 1.743 guardas, 1.586 guardas (90,99% do efetivo) recebem ainda uma Bolsa Formação, de R$ 400,00 mensais, a título de incentivo para a melhoria profissional, conforme convênio assinado com o Pronasci. A cada dois anos de serviço o guarda tem direito a um aumento de 2,8% do salário base, a título de crescimento horizontal na carreira, e a cada cinco, recebe um adicional por tempo de serviço - quinquênio - de 5%. Esses valores somados elevam em mais de 20% a remuneração de profissionais que têm entre 8 e 17 anos de serviços prestados, ou mais de 18 anos. Entre os 1.743 profissionais da corporação, 732 (42%) têm de zero a sete anos de serviços, 419 (24%) tem de 8 e 17 anos, e 592 estão há mais de 18 anos na corporação (34%). O último concurso para guardas municipais, concluído em abril de 2009, atraiu 6.500 candidatos, teve 663 aprovados e 196 profissionais contratados. Sismuc rebate informações Segundo o Sindicato de Servidores Públicos Municipais- Sismuc, os guardas municipais são o segmento do serviço público municipal curitibano que mais trabalha. Ao invés de 40 horas semanais de toda a categoria, os guardas trabalham mais de 50 horas por semana. As escalas também exigem dos guardas jornadas de 24 horas nos finais de semana e feriados. A situação se deve à falta de efetivo suficiente para a prestação do serviço de segurança nos dias de jogo de futebol, parques e praças da capital. “Isso não é uma opção. A gente é escravo. Não tem feriado, não tem natal, não tem ano novo, não tem direito a lazer porque nesses dias é quando a gente mais trabalha. Temos que trabalhar 24 horas. É por isso que a gente está revoltado de continuar nessa condição”, diz José Aparecido da Silva, supervisor da guarda do Bairro Novo. Segundo ele, o excesso de horas extras não aparece na folha ponto, porque essas horas são diluídas como horas extras no meio de semana, nas jornadas de 8 e 13 horas, em dias alternados. Os guardas têm sido obrigados, por meio de coerções e formas veladas de punição, a realizarem as escalas de finais de semana. Dentre as principais consequências para aqueles que se recusam a fazer a escala de 24 horas estão a transferência para locais mais perigosos e a mudança de turno, revela o Sismuc

RJ-Volta às aulas: Guarda municipal vai reforçar patrulhamento em Botafogo e Laranjeiras

RIO - Os bairros de Botafogo e Laranjeiras, na Zona Sul, receberão, a partir desta terça-feira, reforço de guardas municipais nas ruas de maior fluxo de carros, como Voluntários da Pátria, São Clemente e Real Grandeza. Os bairros foram os que tiveram o trânsito mais prejudicado nesta segunda-feira, quando foi iniciada a Operação Volta às Aulas. Até as 17h30m, foram aplicadas 12 multas na Rua Real Grandeza, duas na São Clemente e duas na Rua Voluntários da Pátria.

Agente da Guarda Municipal coordena o trânsito na Rua São Clemente. Foto: Gabriel de Paiva

Apesar do início do esquema especial de trânsito de volta às aulas, apenas um guarda municipal foi visto entre às 11h30m e às 13h30m desta segunda-feira, na Rua São Clemente, em Botafogo, endereço de várias escolas particulares. A falta de agentes resultou em trânsito caótico e filas duplas.

Em frente ao Santo Inácio, quem organizava o trânsito eram cinco operadores de uma cooperativa contratada pela escola. Munidos de apitos e coletes refletivos, eles tentavam por ordem na entrada e saída de alunos, orientando os pais a respeitar a fila de carros. Nem sempre dava certo. Muitos pais se aproveitavam do trânsito lento para embarcar ou desembarcar os filhos parados em fila dupla.

(Guarda Municipal monta esquema para volta às aulas no Rio)

Perto dali, o único guarda municipal avistado em toda a região se esforçava em não deixar os motoristas fecharem o cruzamento das ruas São Clemente e Rua Eduardo Guinle.

A operação acontece na entrada e saída dos alunos do turno da manhã e da tarde. Os guardas orientaram os pais e responsáveis que chegam às escolas de automóvel a fazer a fila indiana (para impedir filas duplas) e que não estacionem em pontos proibidos, como sobre a calçada.

RJ-Guarda Municipal e Suser fiscalizam transporte escolar

VOLTA REDONDA Uma operação conjunta entre a Superintendência de Serviços Rodoviários (Suser) e a Guarda Municipal com objetivo de fiscalizar irregularidades no transporte escolar foi realizada ontem, no horário de saída do turno matutino da Escola Municipal Miguel Couto, no Jardim Normândia, e no horário de entrada do turno vespertino da Escola Particular Seja, no bairro Morada da Colina. O agente de trânsito da Suser Wagner Ulisses frisa que o objetivo é fiscalizar o transporte escolar para garantir a segurança dos alunos que são transportados nesses veículos. “Os veículos estão sendo vistoriados quanto às condições de funcionamento, cintos de segurança, se são cadastrados na Suser para realizar transporte escolar e se foram vistoriados tanto pela superintendência quanto pelo Detran”, explica o agente, alertando ainda que um banco rasgado pode deixar ferros à mostra e ferir as crianças. “Tudo isso está sendo vistoriado”, disse o agente. Na manhã de ontem, na escola Miguel Couto, duas vans foram flagradas circulando com os documentos vencidos no ano de 2008. Viaturas da Guarda Municipal (GM) escoltaram as vans até que entregassem todas as crianças em suas respectivas residências e depois os veículos foram apreendidos e levados para o depósito municipal. Segundo informações da Guarda Municipal, a operação irá continuar durante toda a semana nas escolas da cidade.

PE-Recifenses desconhecem funções da Guarda Municipal, a mais antiga do Brasil

A Guarda Municipal do Recife (GMR) completa, nesta quarta-feira (24), 117 anos. É a mais antiga do Brasil. Para marcar a data, durante toda a semana, alunos do ensino fundamental visitarão a GMR e vão conhecer o trabalho da corporação, além de receber instruções sobre segurança no trânsito e preservação do meio ambiente. Nesta segunda (22) estavam presentes os alunos da escola municipal General Emídio Dantas Barreto. Também acontecerão torneios de futebol, dominó e corte de bolo. Mas será que o recifense tem exata noção do que fazem os 1.070 membros da Guarda Municipal? O JC Online foi às ruas para averiguar o que a população pensa da instituição [assista ao vídeo abaixo]. O lojista Ivaldo Meireles avalia positivamente o trabalho da Guarda e inclui, equivocadamente, entre as funções o policiamento ostensivo. Na verdade, os guardas atuam no policiamento preventivo. O publicitário Ricardo Botelho e o taxista Elnos Cavalcanti afirmam que a corporação deveria ter porte de armas. A boa notícia é que essa já é uma das prerrogativas da instituição. A auxiliar de nutrição Juceny faz uma ressalva: "Deveria ter melhorias, treinar melhor os guardas". O gari Ronaldo dos Santos considera que o trabalho da GMR é "excelente" e acerta ao dizer que ela faz a vigilância do patrimônio público. O inspetor Altino Ventura esclarece sobre as funções da Guarda.
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!