Cadastre seu Email

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

notícias

Guardas reagem a decisão de Clésio Salvaro


Decisão de Governo de Clésio Salvaro, prefeito eleito de Criciúma, que planeja acabar com a Guarda Municipal já provoca reações. Alberto Viana, presidente licenciado da Associação dos Guardas afirma que a medida representa um retrocesso e uma perda para toda a sociedade.
"Quem perde é a comunidade. Outras cidades estão reforçando suas corporações para garantir mais segurança para suas comunidades e nós vamos andar para trás. Ele chegou a dizer que somos uma minipolícia, não somos não. Somos guardas municipais e fazemos nosso trabalho com muito orgulho. Prefeito fez referência de que não tem dinheiro para soro não pode ter guarda. Ele apelou para o emocional, mas não cola. A verba é distinta. Queremos conversar, convencer ele a rever sua posição. A guarda pode sim mudar algumas posturas, mas a sociedade precisa sim deste serviço".
Para ele, a Guarda Municipal extinta vai aumentar o custo da cidade e não reduzir. "A guarda hoje protege os prédios públicos. A guarda custa 500 mil/mês. Se a guarda acabar vão terceirizar e esse contrato não sairá por menos de R$ 1 milhão

Prefeito de Magé quer ampliar Guarda Municipal: ‘Vivemos um caos sem segurança’

Prefeito eleito de Magé quer continuar investindo em escolas
Prefeito eleito de Magé quer continuar investindo em escolas Foto: Cléber Júnior / Extra
Igor Ricardo
Tamanho do texto A A A
Prefeito de Magé desde maio, após a cassação de Nestor Vidal, Rafael Tubarão (PPS) conseguiu nas urnas o direito de continuar no cargo pelos próximos quatro anos. Com mais de 40 mil votos de diferença, derrotou Renato Cozzolino (PR), da família que governou a cidade por cerca de três décadas. Tubarão admite um momento delicado na segurança e prevê melhorias na saúde.
Tubarão derrotou o candidato da família Cozzolino
Tubarão derrotou o candidato da família Cozzolino Foto: Cléber Júnior / Extra
Qual será a sua prioridade nesse mandato?
A prioridade é o cidadão mageense. Quando assumi esse mandato-tampão de seis meses, a gente vinha falando que não adiantava ter prioridade em uma secretaria só porque nosso município é muito carente. Lógico que a gente vai priorizar a área da Saúde, como já estamos fazendo, mas temos que atuar em todos os setores. Educação, Obras, Ordem Pública... todas as nossas secretarias têm que funcionar e muito bem. Nós temos a obrigação de trabalhar em todos os segmentos do nosso município.
O que já foi feito na Saúde e quais são os projetos futuros?
Estamos reestruturando todas as nossas unidades. Temos dois hospitais e estamos trabalhando para fazer um terceiro. Vai ser uma unidade 24h que temos em Fragoso, que já funciona praticamente como hospital, mas burocraticamente não é. Em dois meses, a gente resolve isso com o estado e com o SUS. Tenho o compromisso de trazer pelo menos quatro UBS (Unidade Básica de Saúde) para desafogar as outras.
A Segurança Pública é dever do estado, mas como o senhor pretende ajudar?
O que mais incomoda hoje a população de Magé é a segurança. Magé vive uma crise, vive um caos por causa da falta de segurança. Para você ter uma ideia, o batalhão daqui conta com 80 a 85 policiais diariamente para tomar conta de Magé e Guapimirim toda. É impossível isso. Sei do problema do estado, mas não podemos deixar isso assim. Já solicitei mais policiais ao governador. Em termos de município, quero aumentar o efetivo da Guarda Municipal por meio de um concurso público. Também estamos com projeto de colocar câmeras de monitoramento. Sou morador da cidade e nunca passamos um momento tão ruim com relação à violência quanto agora. Está muito preocupante.
Segurança preocupa prefeito eleito de Magé
Segurança preocupa prefeito eleito de Magé Foto: Cléber Júnior / Extra
O “Mais Baixada” acompanha a situação ruim na Educação, que se arrasta desde outras gestões. Há escolas sem teto e alunos sem uniformes. Como dar dignidade aos estudantes?
Com recursos próprios, estamos reformando diversas escolas. Nesse período que estou no governo, já inaugurei seis creches municipais. Até o fim do ano, devem ser dez. Também reformamos mais de 40 escolas. Até o começo do ano letivo, todas as unidades de ensino estarão reformadas. Temos o compromisso de dar a manutenção periódica para não acontecer essa vergonha que vocês viram. Sobre os uniformes, a gente está esperando a liberação do TCE para fazer a licitação. Acredito que o tribunal vai liberar isso logo.
Nas urnas, seu maior adversário foi da família Cozzolino. O senhor o derrotou com uma grande diferença de votos...
Foi a vitória de um grupo novo que se juntou para renovar Magé. Foi uma vitória final porque o número foi muito positivo, com mais de 40 mil votos de diferença. Ganhamos em todos os distritos. Fizemos uma campanha com pé no chão. Escutamos o povo todo dia. Não foi a derrota de um clã, foi a vitória do povo. Quero agradecer por cada voto. Não sou prefeito dos 81 mil que votaram em mim. Sou prefeito de toda Magé. Tenho que trabalhar os próximos quatro anos para fazer uma Magé diferente.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/prefeito-de-mage-quer-ampliar-guarda-municipal-vivemos-um-caos-sem-seguranca-20456487.html#ixzz4RbpIVdIv

Guarda Municipal de Santos vai aplicar multas de trânsito em 2017

Pelo menos 45 guardas serão treinados para autuar os motoristas

26/11/2016 - 15:05 - Atualizado em 26/11/2016 - 15:48
O efetivo da GM vai auxiliar a CET fiscalizar motoristas (Foto: Alexsander Ferraz/ A Tribuna)
A Guarda Municipal (GM) de Santos passará a aplicar multas de trânsito em 2017. O convênio com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já está pronto e será assinado no começo do ano. Além disso, já foi contratada a empresa que fará a avaliação psicológica nos guardas municipais que portarão arma de fogo – outra novidade da corporação.
De acordo com a CET, a assinatura do documento ficou para o ano que vem porque a Prefeitura não pode criar mais gasto com funcionalismo, ainda este ano. Os guardas municipais receberão um pró-labore por essa atribuição. O valor ainda será definido.
Serão aproximadamente 50 guardas - entre os 470 que integram a corporação - que terão, entre outras coisas, a tarefa de auxiliar a CET na fiscalização de trânsito. 
“Foi um número conversado com a diretoria da CET para que a gente fizesse um piloto e aí sim, evoluindo esse trabalho, nós iríamos ampliando para toda a Guarda”, explica Flávio Brito, secretário adjunto da Secretaria de Segurança Pública de Santos.
Atribuições
A GM aplicará as mesmas multas de trânsito que são de competência da CET – conhecidas por infrações de solo. A Polícia Militar, por sua vez, continuará fazendo autuações de competência do Estado. 

Desde 2015, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou o poder das GMs para aplicar multas de trânsito. Na Baixada Santista apenas em Praia Grande a GM aplica as infrações.

Os guardas municipais que atuarão no trânsito santista passarão por capacitação na CET. “Não é um curso longo. Em um mês, acredito que eles já estariam aptos”, diz Brito.
Criada inicialmente para tomar conta de prédios municipais e proteger o patrimônio público, a GM ganhou diversas atribuições ao longo dos anos. Na lista estão itens de cidadania como ficar de olho nos moradores para saber se eles recolhem as fezes de seus cães ou jogam bituca de cigarro na rua. Visita às escolas em programas educacionais e de fiscalização sobre o descarte correto de entulho também fazem parte das atribuições.
A GM ainda faz o patrulhamento preventivo usando veículos e cães na Cidade e dá apoio a ações da PM, CET, secretarias de Ação Social e de Saúde.


Armas de fogo
O processo para armar a GM de Santos, anunciado este ano pela Prefeitura, está em andamento. Foi aprovada a empresa que ganhou a licitação para aplicar a avaliação psicológica na corporação. Entre 70 e 100 funcionários passarão pelos testes.
Os aprovados irão para o curso teórico e prático de tiro. Quando tudo isso deve acontecer ainda é uma incógnita. “O mais rápido possível, mas sabemos a situação que o País atravessa”, diz Brito em relação à falta de dinheiro para treinar e armar o efetivo. Na região, as GMs de Praia Grande e Bertioga já estão armadas. 

Cidade

Guardas da Capital receberão braçais e boinas

Foto: Divulgação/Assessoria
 
O prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) entregará na tarde desta terça-feira (29) simbolicamente 106 guardas municipais que participam do Curso de Patrulheiro 1250 braçais e boinas. Posteriormente, todos os integrantes da GCM receberão o material. A solenidade acontece às 15 horas no auditório Lúdio Martins Coelho.
Segundo a Semsp(Secretaria Municipal de Segurança Pública), os 1250 braçais e boinas foram adquiridos com recurso do Tesouro Municipal. E é uma recomendação do Ministério Público para que o uniforme da GCM se diferencie dos outros poderes policiais. Então as boinas e braçais vão compor o uniforme da GCM atendendo ao disposto nos artigos 44 e 45 da Resolução Interministerial 15/2007 – PGJ-MS. (Com assessoria)
Ricardo Cruz é vereador eleito do Recife pelo PPS
Ricardo Cruz é vereador eleito do Recife pelo PPSFoto: Úrsula Freire/Folha de Pernambuco
O vereador eleito do Recife, Ricardo Cruz (PPS) afirmou em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta quarta-feira, que é a favor do armamento da guarda municipal. O legislador, que faz parte da categoria há 24 anos, acredita que o trabalho da guarda poderia diminuir o índice de violência na capital pernambucana.

“Temos a lei 13.022 que preconiza o armamento da guarda. Em Pernambuco, apenas duas cidades possuem a guarda armada que é em Petrolina e no Cabo de Santo Agostinho. Se nós somos a capital e a referência, acredito que deveríamos ser armados também. Sei do trabalho da Polícia Civil e da Militar, mas acredito que a guarda poderia dar um efetivo e diminuir a violência”, afirmou.

Mas para isso, segundo Ricardo, seria preciso que a categoria contasse com sede própria, sala para armaria e, principalmente, treinamento. Ainda de acordo com o legislador, a maior parte dos guardas municipais desejam trabalhar armados. 

"Não se pode colocar na rua um guarda armado sem treinamento e sem instrução. Grande parte da corporação tem o anseio de estar nas ruas trabalhando efetivamente, tanto na parte preventiva, quando na ofensiva", acrescentou.

Além de atuar em prol da categoria, quando assumir uma cadeira na Câmara de Vereadores do Recife, Ricardo garante também que irá trabalhar pelos animais, causa que defendeu durante a campanha eleitoral.

Questionado sobre o trabalho feito pela atual gestão, Ricardo reconhece que avançou, porém, não o suficiente para atender as demandas da cidade. 

"A criação da Seda foi um grande avanço, o prefeito Geraldo Julio teve a sensibilidade de criar a secretaria, mas a demanda é grande e muita coisa ainda precisa ser feita”, disse. 

"Hoje no Recife, a carência de atividades voltadas aos animais é enorme. Chegou a hora do poder público olhar para eles", observou.

Questionado sobre o trabalho feito pela atual gestão, Ricardo reconhece que avançou, porém, não o suficiente para atender as demandas da cidade. 

"A criação da Seda foi um grande avanço, o prefeito Geraldo Julio teve a sensibilidade de criar a secretaria, mas a demanda é grande e muita coisa ainda precisa ser feita. O Hospital dos animais está quase pronto, e terá 72 consultas diariamente. Um alívio já que o Recife não tem nada para os animais, a não ser o trabalho que é feito na Universidade Rural e no CVA", afirmou. 

Além do castramóvel, o legislador pretende criar uma política de combate aos maus-tratos e ainda um centro de revitalização para animais de rua que sejam atropelados. 

"Pretendo também utilizar a guarda, como uma brigada municipal para atuarmos com animais domésticos, cavalos. Porque hoje, a maior dificuldade é abrigar os animais em tratamento, até conseguimos ajuda de veterinários, quem sabe agora no poder público a gente consiga um local para atender os animais", completou.

Líder do prefeito retira o projeto da criação da Guarda Municipal

23/11/2016
Rodrigo Garcia/CMU
O líder do prefeito, Elmar Goulart pediu para a Mesa Diretora da Câmara retirar o projeto da GM da pauta de discussão

Líder do prefeito, Elmar Goulart (PMN) solicitou à Mesa Diretora da Câmara Municipal de Uberaba, que retirasse o Projeto de Lei Complementar nº 30/16, de autoria do Executivo, que dava nova redação à lei de implantação da Guarda Municipal, da pauta da reunião ordinária de ontem. No projeto, o Executivo explica que identificaram a necessidade de reorganizar a estrutura da Guarda Municipal para se adequar à Lei Federal nº 13.022, de 8 de agosto de 2014, com objetivo de dar autonomia na área operacional, além de estrutura apropriada para cumprir as suas funções.
Segundo Elmar, ele não foi avisado pela Secretária Municipal de Governo que o projeto entraria na pauta, de forma que não teve como estudá-lo. Até agora, foram apresentadas 13 emendas. O pedido foi acatado prontamente pelo presidente da Mesa Diretora, Luiz Dutra, que analisou que com essa medida regimental os parlamentares teriam mais prazo para estudarem melhor o projeto e até mesmo apresentar outra demanda, se for necessário. “A tendência é de que a segurança púbica seja municipalizada, e espero que a cidade possa ter um serviço à altura do cidadão de bem”, afirmou o presidente, informando que o projeto voltará na pauta da primeira reunião de projetos de dezembro.
Mesmo se o líder do prefeito não tivesse pedido a retirada do projeto da pauta, a proposta não iria chegar a ser colocada em votação na reunião. O vereador Kaká Se Liga (PR) utilizou a rede social para informar que iria pedir vista do projeto que trata da reorganização da Guarda Municipal, porque não concordava com a proposta porque ele não atendia toda a categoria. Ele explicou que guardas municipais e o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Uberaba (SSPMU), Luis Carlos dos Santos, estiveram no seu gabinete para alertá-lo sobre o fato. “Sou favorável à extinção da GM e a sua transformação imediata em ‘Polícia Militar’, atendendo à lei federal”, encerra Kaká, lembrando que desde 2013 vem defendendo o armamento dos guardas, desde que observadas todas as exigências legais. (LR)

Projeto
Ausência. O presidente da Câmara, Luiz Dutra (PMDB) também retirou o Projeto de Lei nº 24/16, de autoria do vereador Edmilson de Paula (PR), da pauta de reunião ordinária, ontem (22), devido à ausência do parlamentar no plenário no momento de votação. 

Guarda Municipal realiza campeonato de tiro com as forças policiais no 12º G.A.C

Integração com as forças policiais. Esse foi o resultado obtido no campeonato de tiro organizado pela Guarda Municipal de Jundiaí.
O evento que foi realizado no stand de tiro do 12º G.A.C  faz parte das comemorações de aniversário da Guarda Municipal de Jundiaí que no próximo dia 24 de novembro completará 67 anos.
Cerca de 80 policiais compareceram no torneio para os tiros que foram feitos com as armas das próprias instituições, bem como suas munições. Os tiros foram dados á uma distância de 10 metros.
Policiais rodoviários, policiais militares, e guardas municipais do aglomerado urbano participaram do campeonato.
Segundo o Inspetor e Subcomandante Cláudio Ferigato, o objetivo deste evento foi alcançado. “Queríamos unir as forças para este campeonato e aproximar a GM delas e isso foi realizado”, comenta.
Um grande aparato de retaguarda  foi montado pelos soldados do 12º GAC como ambulância, mesa de café, banheiros e água. Ainda segundo Ferigato, a Exército tem sido no decorrer dos anos um grande parceiro da Guarda Municipal.
O Comandante da Guarda Municipal de Jundiaí, José Roberto Ferraz, disse que o campeonato de tiro também  faz parte do Estágio de Qualificação Profissional  – EQP. “A GM de Jundiaí capacita anualmente os guardas do aglomerado urbano. Este evento está sendo avaliado pelos docentes que irão acompanhar o desempenhos dos guardas durante os tiros”, explica.
A premiação deste campeonato será feito na Câmara Municipal no próximo dia 24 às 09h em sessão solene que irá homenagear a GM pelos 67 anos.
No período da tarde, o torneio se estendeu para os guardas de Jundiaí que fizeram disparos com armas longas com a distância de 7 e 10 metros.
Assim como os orgãos de segurança, os guardas municipais de Jundiaí terão sua premiação na Câmara Municipal.

Anúncio de plebiscito para armar Guarda Municipal repercute em Niterói

Vereador convocará audiência para discutir armamento da Guarda Municipal

POR 
NI Niteroi (RJ) 09/03/2016 Armamento da Guarda Municipal - A prefeitura formalizará este mês o convênio com a Polícia Federal para armar a Guarda Municipal. Foto de Fabio Rossi / Agencia O Globo - Fábio Rossi / Fabio Rossi
NITERÓI - A decisão do prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, de convocar um plebiscito para decidir se a Guarda Municipal passará a portar armas, publicada pelo GLOBO-Niterói anteontem, repercutiu na cidade. O presidente da Comissão de Segurança Pública e Controle Urbano da Câmara dos Vereadores, Renato Cariello (PDT), afirma que vai protocolar um pedido de audiência pública para discutir o tema.

O vereador lembra que a legislação atual permite o armamento da guarda por meio de decreto. Anteriormente, Rodrigo Neves já havia se posicionado a favor da medida e anunciado decisão neste sentido, mas acabou optando pelo plebiscito. A votação será realizada até o fim do primeiro trimestre do ano que vem.— Precisamos discutir o assunto com toda a sociedade civil organizada e autoridades responsáveis pela segurança na cidade — afirmou.
— Pessoalmente, sou favorável ao emprego de armas de fogo pela guarda, desde que ela seja submetida ao treinamento adequado — diz o vereador, que é oficial da Polícia Militar.
A questão do treinamento é também preocupação do presidente da Comissão Antiviolência da OAB-Niterói, Ennio Figueiredo Júnior. Para o advogado criminalista, a decisão do prefeito de consultar a população é bem-vinda.
— Ao meu ver, a discussão tem que ser: eles estão preparados ou não para andarem armados? Se dissermos que sim, é preciso dar toda a estrutura de apoio profissional e psicológico a eles — opina.
O presidente do Conselho Comunitário da Região Oceânica (Ccron), Gonçalo Perez, diz ser impossível emitir opinião sobre a questão sem um debate profundo.
— Seria leviano da minha parte dizer sim ou não. Tenho minhas dúvidas de se a população tem condições de decidir uma coisa como essa — diz ele. — Espero ouvir especialistas sobre o tema. É um assunto delicado. Queria ouvir a opinião do comandante do 12ºBPM (Niterói) a respeito. Ele tem mais condições de dizer.
Procurado, o comandante do batalhão, Márcio Rocha, afirmou que seguirá o que for decidido no plebiscito, sem julgar a questão em si.
— O armamento está fundamentado em lei. Não temos avaliação a respeito, mas é claro que tudo passará por um planejamento e preparação. Particularmente, acho muito interessante levar essa decisão para o povo — avaliou o comandante.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bairros/anuncio-de-plebiscito-para-armar-guarda-municipal-repercute-em-niteroi-20496496#ixzz4RblUXECE 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 
SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!