Cadastre seu Email

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Polícia Civil diz que guarda matou namorada em shopping após briga

EM 31 DE MAIO DE 2015 AS 00H11
Tio diz que homem não era violento e nunca tinha ameaçado a vítima.
Homem se matou com tiro na cabeça após atirar contra a vítima, em Goiás.
Fonte: G1
 
A Polícia Civil informou que o guarda civil metropolitano Ewerton Duarte Caldas, de 38 anos, matou a namorada, Juliana Paiva Martins, de 25, após uma briga no Buriti Shopping, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana. “Foi um problema passional. O casal estava tendo uma tensão na própria praça de alimentação que culminou nessa situação trágica”, disse o delegado responsável pelo caso, André Fernandes.

Após disparar contra a vítima, Ewerton atirou na própria cabeça e morreu em um hospital. A família disse que ainda não sabe o que levou o homem a cometer o crime e que ele não era agressivo. “Nunca soubemos que ele tivesse ameaçado ela ou que já tivessem brigado alguma vez. Ele não era violento”, disse ao G1 o tio do guarda, o porteiro Orlando de Jesus dos Santos.

A polícia ainda vai investigar se Ewerton trocou mensagens de celular com um amigo, dizendo que estava dando tudo errado em sua vida e que estava prestes a fazer uma besteira.

"Nós temos essas informações que não se confirmam até o presente momento, mas isso depende de coletas de testemunhas ainda, do processo investigativo", disse o delegado.

O tio de Ewerton contou que o sobrinho já foi casado, mas se separou há cerca de sete anos. Depois do divórcio, ele passou a morar com a mãe e os dois filhos, uma menina de 11 anos e um garoto, de 9. “Ele era filho único, então a mãe está em choque até agora. Ela que cuidava dos meninos quando ele ia trabalhar”, afirma o tio. O guarda apresentou Juliana à família como namorada há três meses.

A família de Ewerton disse que ainda não teve contato com a família da jovem morta. “Não temos palavras para confortar a outra família ou pedir desculpas pelo ato do meu sobrinho. Ainda não sabemos o que provocou esse ato dele, então não temos nem o que falar”, lamentou Orlando.

O corpo de Juliana é velado no Cemitério Jardim das Palmeiras, no Setor Centro Oeste. Já o corpo de Ewerton não foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) até a publicação desta reportagem.

Licença médica
De acordo com o porteiro, o sobrinho tinha voltado ao trabalho há 15 dias, após licença médica para cuidar de problemas psicológicos. “A mãe dele me disse que ele estava muito estressado e nervoso ultimamente, mas já tinha buscado auxílio médico e estava tomando remédios. Só que esse estresse era coisa normal da profissão dele”, relata o tio.

O subcomandante da Guarda Municipal de Goiânia, ValdimirPassos, confirmou que o guarda ficou de licença médica durante 30 dias. Desde que retornou, ele atuava no serviço administrativo. Passos informou também que a arma utilizada no crime não pertence à corporação.

Crime
O homicídio aconteceu na noite de sexta-feira (29), na praça de alimentação do Buriti Shopping. O guarda civil atirou contra a jovem e, em seguida, atirou na própria cabeça. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu na madrugada de sábado (30), no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

No momento do crime, o shopping ainda estava aberto. Por isso, muitos clientes e funcionários estavam no local. Após o homicídio, a área foi isolada para que os bombeiros pudessem fazer o socorro e, em seguida, os policiais pudessem realizar a perícia.

Em nota, o Buriti Shopping lamentou o ocorrido e afirmou que prestará todo o suporte necessário para a família das vítimas. O centro comercial voltou a funcionar normalmente ontem de manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários,críticas,sugestão são bem vendas!

SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!