Cadastre seu Email

quinta-feira, 15 de março de 2012

14/03/2012 -- 19h59 PM nega dar aulas de tiro aos guardas municipais

14/03/2012 -- 19h59
PM nega dar aulas de tiro aos guardas municipais
A Secretaria Estadual de Segurança Pública rompeu o convênio de cooperação técnica firmado há quase três anos com a Prefeitura de Londrina. O acordo possibilitou que cursos de capacitação e aperfeiçoamento pudessem ser prestados para a Guarda Municipal (GM). Um exemplo claro dessa parceria ocorreu logo na implantação da GM, quando policiais militares deram aulas de formação aos agentes.

A rescisão do convênio de cooperação técnica ocorreu na última sexta-feira. Com o rompimento fica impossibilitado qualquer tipo de treinamento prático ou teórico de armamento e tiro da Polícia Militar aos guardas.

''A PM entendeu que perdeu objeto e pediu o rompimento do convênio. A gente entendeu que há condições da Prefeitura de Londrina formar os guardas municipais e fazer instruções de tiro por outros meios, como a contratação de algum instituto particular. Não é conveniente (para a PM) assumir esse encargo'', afirmou o subcomandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Londrina, capitão Sidinei Garcia.

Além disso, a PM não vai garantir o armazenamento das armas adquiridas pelo município no 5º BPM, como cogitado no passado. ''A PM faz a cautela individual. Quando o policial entra na corporação recebe kit com colete, escudo, arma, munições e carregadores. Isso tudo fica na cautela dele para não haver possibilidade dos armamentos ficarem guardados dentro de quartel. Assumir esse ônus é voltar ao passado'', revelou.

A Prefeitura adquiriu 75 pistolas e 15 revólveres por mais R$ 315 mil. ''Solicitei ao comando do 30º Batalhão do Exército de Apucarana e fui prontamente atendido. Isso já está superado'', rebateu o secretário de Defesa Social, Jefferson Dias Chaves.

Esse é o segundo embate envolvendo Município e Estado, cujo objeto principal é a Guarda Municipal. Há poucos dias, a Empresa Paranaense de Classificação de Produtos (Claspar) solicitou a desocupação do imóvel onde funciona a base operação da GM. O município recebeu prazo de 90 dias para deixar o prédio localizado no Jardim Califórnia (Zona Leste).

A base vai funcionar provisoriamente no antigo prédio do Corpo de Bombeiros às margens do Lago Igapó II, no Jardim Higienópolis (Zona Oeste). ''Já a sala de monitoramento das câmeras de vigilância funcionará no prédio da Capsmel'', disse Chaves. A mudança deve ocorrer em até 50 dias. (com informações do repórter Danilo Marconi, da Folha de Londrina)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários,críticas,sugestão são bem vendas!

SE VOCÊ GM, QUER QUE SEJA PUBLICADO AQUI ALGUMA MATERIA , PODE SER SUA; OU UMA SUGESTAO ,MANDE PRA O MEU E-MAIL- bloggmgo@gmail.com É UMA FORMA DEMOCRATICA DE PARTICIPAREM DO BLOG. QUE É NOSSO E LIVRE!